NOTÍCIAS

Aqui estão as 7 coisas que você precisa saber antes de fazer a inscrição para o Enem

O Ministério da Educação elevou o rigor no acesso ao Enem a outro nível neste ano.

06/05/2017 18:01 -03 | Atualizado 06/05/2017 18:35 -03

Será dada a largada.

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2017 começam às 10h desta segunda-feira (8) e terminam às 23h59 do dia 19 de maio. Os estudantes pode fazer a inscrição pelo site do Enem e o pagamento da taxa pode ser feito até o dia 24 de maio em qualquer agência bancária, casas lotéricas ou agências dos Correios.

Neste ano, porém, há algumas mudanças importantes e significativas no exame que todo estudante que vai prestar precisa estar ciente. Em janeiro, o MEC já havia anunciado quatro mudanças na prova, como a extinção do exame como certificado do Ensino Médio e e a divulgação do ranking por escolas.

Mas o MEC apertou outras regras.

Aqui estão elas:

1. A prova será realizada em dois domingos consecutivos, nos dias 5 e 12 de novembro. No primeiro dia, os estudantes farão provas de ciências humanas, linguagens e redação. No segundo, as provas serão de matemática e ciências da natureza.

2. Além de separar a prova em duas datas, a taxa de inscrição para o Enem 2017 foi reajustada em 20%. O valor foi de R$ 68 para R$ 82. De 2000 a 2014, o MEC manteve a taxa em R$ 35.

3. Os resultados das provas poderão ser usados em processos seletivos para vagas no ensino superior público, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

4. Nas edições anteriores, o candidato apresentava uma declaração de baixa renda, que não era checada. Agora, o governo vai conferir a declaração cruzando com banco de dados. São isentos os participantes de baixa renda inscritos no CadÚnico e os que se enquadram na lei 12.799/2013. A legislação inclui aqueles com renda igual ou inferior a um salário mínimo e meio, equivalente a R$ 1.405,50. Continuam isentos todos os estudantes que estiverem concluindo o ensino médio em escolas da rede pública.

5. A partir desta edição, os isentos que fizeram a prova só terão o direito novamente se provarem a ausência com documentos, como atestado médico, boletim de ocorrência ou documento judicial. Antes, bastava que o candidato isento justificasse o motivo da falta para ter direito à gratuidade no ano seguinte.

6. Participantes com necessidades especiais e em determinadas condições de saúde, como deficiências visuais e dislexia, por exemplo, podem pedir o tempo extra de uma hora para a realização da prova. Esse pedido, no entanto, até o ano passado podia ser feito aos fiscais no ato da prova. Porém, em 2017, o pedido deve ser deve ser realizado na hora da inscrição, mediante apresentação de laudo médico.

7. Já foi definido que o Enem não será mais usado como forma de obter o certificado de conclusão do Ensino Médio a partir do segundo semestre de 2017. Essa função ficará restrita ao Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). A participação no Encceja é gratuita e destinada a quem tem no mínimo quinze anos completos na data de realização das provas. Em 2016, 1.033.761 candidatos pediram a certificação do ensino médio por meio do Enem. No total foram 8.630.06 inscritos, sendo 6.111.339 presentes na primeira aplicação e 265.412 na segunda.

A previsão é de que o resultado do Enem 2017 seja divulgado no dia 19 de janeiro de 2018.

Você pode consultar o edital do Enem clicando aqui.

LEIA MAIS:

- 'Sempre estive disposto ao diálogo', diz ministro da Educação sobre reforma do Ensino Médio

- Sem mistério: Professora mostra como tirar nota 10 na redação do Enem em 6 passos

11 livros infantis sobre gênero e orientação sexual