COMPORTAMENTO

O que aconteceu comigo quando fiquei um mês sem comer açúcar

As melhoras foram mais mentais do que físicas. 😊

19/04/2017 12:19 -03 | Atualizado 19/04/2017 12:27 -03

Em nossa série mensal GIVING UP (ABRINDO MÃO), profissionais de nossa redação abrem mão de um hábito arraigado e relatam como foi a experiência. Em março a editora de Lifestyle, Suzy Strutner, abriu mão do açúcar em sua dieta.

Você está abrindo mão do quê? Estou abrindo mão do açúcar adicionado durante a Quaresma (vale lembrar que isso não é a mesma coisa que o açúcar presente naturalmente nos alimentos).

O que a levou a tomar essa decisão? Adoro o açúcar de tal maneira que às vezes tenho a impressão que é ele quem manda em mim, em vez de ser o contrário. Quando um hábito começa a invadir minha vida, sei que é esse hábito que preciso abandonar. É o caso, por exemplo, quando perco uma hora de sono à noite porque à meia-noite sinto que "preciso" de um cookie recém-saído do forno ou quando "não consigo passar meu dia" sem gastar US$6 com um frozen yogurt. Além disso, tentei tirar o açúcar de minha dieta no ano passado e não consegui, sem entender o porquê, então eu quis provar que eu era capaz de fazê-lo e, ao mesmo tempo, fazer um favor ao meu corpo.

Qual foi a reação de sua família e seus amigos? As pessoas ou 1) me dizem que estão impressionadas com meu esforço (lancei um newsletter por e-mail com informações atualizadas sobre o andamento do desafio), ou 2) perguntam se ainda não voltei a comer açúcar e então querem saber quando vou poder sair com elas de novo para comer sobremesa, ou ainda 3) me falam que elas também abriram mão do açúcar! Claro que essa é a reação que mais gosto. Duas de minhas amigas deixaram de comer doce no mês passado porque eu estava fazendo o mesmo. Senti que estou sendo uma influência positiva.

Você fez pesquisas antes de começar? Sim, porque no ano passado não pesquisei o suficiente, e desta vez eu quis me certificar de estar abrindo mão "corretamente" do açúcar adicionado. Ao longo dos anos meus colegas e eu já escrevemos vários artigos sobre açúcar adicionado, então já sei que o açúcar adicionado jamais é uma coisa positiva para nosso cérebro ou corpo. Essa foi uma motivação enorme.

Você teve alguma recaída? Ainda não! Bem, isso depende de até que ponto estamos sendo rigorosos. O açúcar adicionado está presente em alimentos de todo tipo, desde o pão de padarias ou supermercados até a maionese ou os molhos de tomate prontos. Estou evitando comprar esses alimentos, mas não parei de comer em restaurantes. Tenho certeza que alguns dos pratos que comi em restaurantes tiveram açúcar adicionado no meio. Também tenho consumido frutas secas e outras formas de açúcar que ocorrem naturalmente, algo que eu descobri que não é inteiramente aceito pela comunidade antiaçúcar.

Quando foi a primeira vez que você sentiu que estava carente por não consumir açúcar? Dois dias depois de começar o desafio, quando um sundae gigante apareceu na mesa do jantar de aniversário da minha mãe. Foi difícil não me dizer que aquela era uma "ocasião especial" e ceder à tentação. Mas na maior parte do tempo o desafio vem sendo surpreendentemente fácil de encarar.

Encontrei muitas outras gostosuras para curtir –tipo manteiga de amendoim ou nozes, doces de banana e uma mistura de granola, chocolate amargo, tâmaras e coco que eu mesma preparo para garantir que esteja sem açúcar—que são deliciosas o suficiente para enganar meu paladar. Mas não posso afirmar que eu não tenha sonhado acordada com um bolo de Nutella.

Houve algum momento social embaraçoso? Tenho medo de ser estraga-prazeres dos outros quando não mergulho nos doces em encontros sociais. Hoje no almoço, minhas colegas não pediram sobremesa porque eu não comeria sobremesa com elas. Foi simpático da parte delas, mas eu me senti mal porque as estava impedindo de curtir um prazer doce. Outro dia, com alguns amigos novos, fiquei meio sem jeito quando recusei uma margarita e pedi uma "tequila soda" em vez disso (sei que esse não chega a ser um sofrimento de verdade, mas mesmo assim...). Mas foi uma surpresa agradável quando meus amigos observaram o que fiz e mudaram os pedidos deles para também serem de bebidas sem açúcar.

Você notou alguma mudança de humor? Ainda fico irritada quando estou morrendo de vontade de comer um doce, mas meus novos quitutes naturalmente doces geralmente dão conta do recado. De modo geral, me sinto um ser humano mais eficiente. Tendo a duvidar de meu próprio nível de disciplina, mas este desafio me mostrou que sou capaz de fazer qualquer coisa, até mesmo abrir mão de meus doces favoritos, quando decido encarar a parada.

Alguma mudança no seu corpo? Às vezes eu sentia enjoo depois de comer açúcar demais, especialmente se estivesse misturado com álcool. Agora não preciso me preocupar com a possibilidade de ficar com o coração acelerado depois de devorar massa de biscoito. Mas a falta de açúcar adicionado me levou a começar a comer demais de outros alimentos poucos saudáveis, tipo pizza e batata frita, então não posso afirmar que eu esteja me sentindo melhor ou que minha aparência tenha melhorado.

Alguma mudança em sua produtividade? Sim, muito! Tenho dificuldade em priorizar minhas atividades. Muitas vezes eu fazia bolos ou cookies à noite ou saía para comprar sorvete, em vez de cuidar de mim mesma com atividades mais saudáveis, tipo ligar para uma amiga ou praticar ioga. Agora que não preciso procurar minha dose de doce todos os dias, tenho uma "tarefa" a menos a fazer e, assim, me sinto menos culpada pelo jeito como passo meu tempo.

Você sentiu mudanças em seus relacionamentos? Surpreendentemente, sim. O fato de postar atualizações nas mídias sociais sobre o desafio me pôs em contato com amigos com os quais eu normalmente não conversaria com tanta frequência. Uma amiga, por exemplo, leu minha newsletter e me mandou recomendações ótimas de receitas sem açúcar. E minha ex-colega de quarto, que hoje vive na Alemanha, também desistiu de consumir açúcar. A gente troca mensagens entre dois continentes sobre como está indo o desafio.

Virei uma pessoa mais presente em carne e osso: antigamente, em nossos encontros semanais, minha irmã e eu enfrentávamos o trânsito caótico de L.A. para encontrar nosso frozen yogurt favorito. Agora ficamos sentadas, tomando vinho. Talvez o vinho não seja melhor que frozen yogurt, mas passar tempo juntas fora do trânsito é melhor, com certeza. Em festas, posso prestar mais atenção às pessoas porque não estou correndo para a mesa de doces. Essas mudanças pequenas levam a trocas de ideias melhores.

O que um especialista diz sobre abrir mão do açúcar? Isso traz algum benefício? Não há a menor dúvida de que abrir mão do açúcar adicionado pode estender nossa vida, prevenir a demência, reduzir a ansiedade e o risco de doenças cardíacas, ao mesmo tempo em que faz você ser uma pessoa mais vibrante como um todo. Nenhum especialista jamais defende o consumo de açúcar adicionado. Eliminar o açúcar só pode nos beneficiar.

Você repetiria esse desafio? Sim. É uma simplificação de minha vida e minha dieta que eu gostaria de levar adiante, então estou pensando em adotar isso como hábito nos dias úteis. Se não, vou repetir o desafio no ano que vem, com toda certeza.

Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Conheça os efeitos do açúcar no seu cérebro

- 11 coisas que ninguém contou sobre sua xícara de café da manhã

Doces diferentões pelo Brasil