VIRAL

Rodrigo Hilbert: 'Temos muito mais 'mulherões da porra' do que 'homões da porra''

Apresentador rejeitou o rótulo e disse que "não faz mais que sua obrigação".

13/04/2017 09:46 -03 | Atualizado 13/04/2017 19:10 -03
Reprodução/Twitter
Na edição do Saia Justa da última quarta-feira (12), o apresentador disse que rejeita o rótulo de 'homão da porra'. "É o mínimo que todo o homem pode fazer."

Apelidado há menos de um mês pela internet de "homão da porra", Rodrigo Hilbert mandou devolver o título, pois para ele suas mil e uma habilidades não são nada mais que "sua obrigação" e existem muito mais "mulherões da porra" neste mundão.

O apresentador do programa de culinária Tempero em Família, da GNT, esteve ontem no programa Saia Justa, do mesmo canal, para comentar a grande repercussão do título que lhe foi atribuído por páginas no Facebook como a "Qui homão da Porra" e a clássica "Galãs Feios".

Depois de se mostrar um excelente cozinheiro, marceneiro/carpinteiro/lenhador, "dono de casa" competente, fã número 1 de sua esposa Fernanda Lima, amigo das crianças e pai admirável (além de fazer crochê!), Rodrigo Hilbert deixou muitos homens preocupados por sempre elevar o padrão de "homão da porra".

Mas, na edição do Saia Justa da última quarta-feira (12), o apresentador disse que rejeita o rótulo. "É o mínimo que todo o homem pode fazer", contestou.

"Receber elogios pelo fato de cuidar do teu filho, cuidar da sua casa, pelo fato de dividir as tarefas com a sua esposa... Eu não aceito esse rótulo de 'homão da porra' pelo simples fato de fazer isso", afirmou Hilbert. "O 'homão da porra' a gente pode chamar de 'homem moderno', tá?"

O apresentador explica que ele sempre aprendeu em sua casa, comandada por fortes mulheres da família Hilbert, suas obrigações, como limpar, passar, cozinhar etc. E, apesar de passar toda a infância em uma cidade pequena de Santa Catarina e pertencer a uma geração ainda machista, Rodrigo teve o "privilégio" de ser criado em uma família na qual os homens tinham tarefas domésticas e cuidavam da família. "Minha criação foi assim, então eu acho engraçado esse 'homão da porra' porque pra mim é tão simples [fazer essas tarefas], todo mundo pode seguir caminho. Tem muita gente fazendo isso", disse.

E completou:

Temos muito mais 'mulherões da porra' do que 'homens da porra'. Minha mãe, por exemplo, minhas tias, por exemplo, bordavam, cozinhavam, limpavam a casa, cuidavam dos filhos, trabalhavam fora, traziam dinheiro pra casa e nunca foram chamadas de 'mulherão da porra'. Elas, sim, são 'mulherões da porra'.

O apresentador estendeu o título de "mulherão da porra" para a esposa, Fernanda Lima, apresentadora do programa Amor e Sexo, da TV Globo:

Eu tenho uma 'mulher da porra' em casa, que trabalha pra caramba. E se eu não estiver em casa ajudando, se ela não estiver em casa ajudando, se a gente não fizer essa divisão de tarefas, a gente não consegue educar nossos filhos de uma forma correta.

Assista ao vídeo:

Mas, no final de seu depoimento, muita gente acabou confirmando ainda mais o rótulo que Rodrigo tanto rejeitou.

"Como não te rotular assim homi?!" 💚

LEIA MAIS:

- Algumas pessoas andam preocupadas com o 'padrão' Rodrigo Hilbert de 'homão da porra'

- Por que não alimentar a história de Rodrigo Hilbert 'homão da porra'

Países que mais tratam homens e mulheres como iguais