ENTRETENIMENTO

A expulsão de Marcos do Big Brother Brasil e a onda de apoio a ele nas redes sociais

Tag 'marcos, estamos com você' entrou nos trending topics do Brasil.

12/04/2017 13:39 -03 | Atualizado 12/04/2017 15:36 -03

O cirurgião plástico Marcos Harter compareceu na manhã desta quarta-feira (12) à Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM), em Jacarepaguá, zona oeste do Rio, para prestar depoimento sobre o caso de suspeita de lesão corporal a Emilly Araújo.

O casal manteve um relacionamento dentro do Big Brother Brasil 17.

Expulso da atração na última segunda (10), Marcos foi intimado a depor pela delegada-titular Viviane Costa Ferreira.

De acordo com o jornal Extra, ele chegou às 11h acompanhado de três seguranças e optou por não falar com a imprensa. A irmã do ex-BBB, Caroline, chegou minutos antes acompanhada de uma mulher.

Desde o início do dia, milhares de fãs demostram apoio ao ex-BBB nas redes sociais.

No Twitter, a tag "Marcos, nós estamos com você" entrou nos trending topics.

Apesar do episódio de agressão exibido em rede nacional, nos último dias uma onda de apoio a Marcos invadiu o Twitter por meio da hashtag #ForçaMarcos.

O caso

Durante a festa do último sábado (8) dentro do BBB 17, o casal teve um briga na qual o médico se exaltou. Além de gritar com Emilly e pressioná-la contra a parede, gravações mostram que Marcos chegou a beliscou e apertar o pulso da namorada.

No vídeo abaixo é possível assistir ao momento em que Emilly pede para Marcos parar:

A permanência de Marcos no reality e a omissão da TV Globo no episódio de agressão à participante enfureceram o público durante o final de semana.

Na segunda (10), a hashtag #GloboApoiaViolência era uma das mais comentadas nas redes.

Após a repercussão da briga, Marcia Noeli Barreto, diretora da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher do Rio (DEAM), determinou o registro de ocorrência.

"Esse caso não pode ficar sem ser apurado. A tortura psicológica que ele pratica é considerada violência doméstica, se enquadra na Lei Maria da Penha", disse ao jornal Extra.

Em entrevista ao Ego, Marcia contou:

"Caso seja comprovada a violência, vamos fazer uma medida protetiva de afastamento do Marcos do local. Vamos encaminhar as provas para juiz e a pena pode ser de 1 a 3 anos de prisão. Mesmo que a Emilly se recuse a dar queixa, podemos dar sequência ao inquérito, porque teremos provas. Não recebemos nenhuma denúncia ou pedido de fãs da Emilly para tomar essa iniciativa. Mas é claro que verificamos o que estão falando nas redes sociais e levando tudo em consideração."

Na noite de segunda, Marcos foi expulso do reality show.

O apresentador Tiago Leifert fez o comunicou a decisão às três finalistas. "Agressão dá eliminação", afirmou. Leifert explicou que a produção do programa ouviu especialistas, policiais e o público antes da decisão.

Pedido de desculpas

Na manhã de terça (11), o médico usou sua conta no Instagram para se pronunciar pela primeira sobre o caso.

"Como todo casal passamos por momentos de alegria, ansiedade, euforia e tensão. Jamais tive a intenção de machucar física ou emocionalmente uma pessoa pela qual nutri tanto carinho e afeto", escreveu o ex-BBB, acrescentando que o programa o levou ao "limite".

Veja o texto na íntegra:

Antes da expulsão de Marcos, a família e amigos do cirurgião divulgaram uma nota a respeito de sua personalidade:

"Dr. Marcos, como é conhecido, sempre foi um ser humano dócil, amável e querido por todos, tanto por seus familiares como amigos e pessoas que lida diariamente. Esse relacionamento com a Emilly não é o tipo de relação amorosa que ele costuma ter, e acreditamos que o que vem acontecendo dentro da casa entre os dois é responsabilidade de ambos e não apenas do Marcos", diz a nota.

No texto, o comportamento de Marcos é justificado como fruto do "estresse causado pelo confinamento".

#ElePodeNãoTeBater Mas... Violência Psicológica