NOTÍCIAS

O que sabemos sobre a foto dos estudantes de medicina do ES que revoltou as redes sociais

Poses como essa são feitas por diversas turmas de formandos do curso no Espírito Santo, inclusive por mulheres. CRM/ES condena.

11/04/2017 18:06 -03 | Atualizado 12/04/2017 12:38 -03

Sete homens com jaleco e calças arriadas posaram para uma foto de formatura fazendo um gesto obsceno, que remete a uma genitália feminina.

A imagem foi divulgada nas redes sociais por um dos estudantes com a hashtag #pintosnervosos e provocou indignação nas redes sociais na segunda-feira (10).

Reprodução/Instagram

Os protagonistas da foto acima são estudantes de medicina da Universidade Vila Velha (UVV), no Espírito Santo. Divulgada nas redes sociais, a imagem foi bombardeada com comentários pedindo a punição dos universitários por incitação ao estupro.

A imagem foi amplamente criticada nas redes sociais e a ética profissional dos futuros médicos foi colocada em xeque.

Nas redes sociais, algumas pessoas defenderam os estudantes e disseram que o símbolo usado na imagem seria uma brincadeira já usada por jogadores de futebol como Neymar e Ronaldinho Gaúcho.

Algumas mulheres compartilharam histórias de assédio em consultas médicas e exames:

Com a repercussão, a universidade se posicionou sobre o caso.

Em nota oficial, publicada no Facebook, a Universidade Vila Velha afirmou que repudia "todas as formas de ofensa e desrespeito, seja de cunho preconceituoso ou exposição indevida de uma profissão".

Na página oficial da universidade no Facebook, outros alunos pedem a expulsão dos formandos e criticam a postura da instituição sobre o caso.

Procurada pelo HuffPost Brasil, a assessoria da instituição afirmou que a sindicância aberta para apurar o caso deve durar cerca de 30 dias.

Após este mês, a instituição decidirá se vai haver punição -- de advertência a cassação do diploma -- caso seja comprovado que os estudantes feriram o código de conduta ética da universidade.

À reportagem, no entanto, a assessoria da UVV informou que os alunos envolvidos no caso já foram ouvidos individualmente e que eles alegaram que a foto tinha um contexto diferente do qual foi interpretado após ter sido divulgada.

Segundo informou a universidade, a foto com a pose que os jovens reproduziram seria algo comum entre os formandos de medicina, e a cena se repete em outras universidades do País.

"É tipo uma piada interna", informou.

O HuffPost Brasil apurou com estudantes de medicina do Espírito Santo que a pose é mesmo recorrente entre os formandos do curso, inclusive entre mulheres.

O caso só ganhou repercussão porque a foto foi publicada nas redes sociais, uma vez que geralmente os estudantes registram fotos como esta apenas para o álbum de formatura.

A pose seria uma espécie de brincadeira seguida por diversos alunos e alunas, sem um significado específico. Já a hashtag #PintosNervosos -- utilizada pelos alunos na foto que viralizou e bastante criticada -- não teria relação com a pose, mas sim com um grupo em uma rede social de bate-papo.

De acordo com fontes ouvidas pela reportagem, a hashtag é o nome do grupo do WhatsApp dos estudantes.

Debate Ético

Procurado pelo HuffPost Brasil, o presidente do Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo, Carlos Magno Pretti Dalapicola, afirmou que o conselho soube da foto na segunda-feira (10) e a primeira medida foi procurar a UVV para averiguar os fatos. Como os envolvidos ainda são estudantes, só a universidade pode aplicar punição.

Além de cobrar a sindicância e a devida punição, o CRM fez uma reunião na tarde desta terça-feira (11) com os estudantes e, segundo o presidente, os alunos se mostraram arrependidos. "O intuito da reunião foi esclarecer os fatos e orientá-los sobre a ética profissional", disse Dalapicola.

Questionado sobre a possibilidade de haver outras fotos similares em universidades do Espírito Santo, o presidente afirmou que o CRM nunca teve conhecimento de casos como esse.

Ele ponderou, porém, que mesmo sendo uma brincadeira entre os formandos, os alunos precisam respeitar a profissão enquanto acadêmicos e que aquela foto traz uma exposição imprópria para os profissionais, principalmente "perante a população."

Dalapicola acrescenta que, se houver outras fotos como esta, o CRM permanecerá com a mesma posição e exigirá punição compatível com os envolvidos, uma vez que a foto é um "flagrante desrespeito à ética profissional". Ele acrescenta:

No entendimento do Conselho, ela é uma foto inapropriada, independente de ser brincadeira ou não.

Em entrevista ao jornal O Globo, Otto Baptista, presidente da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), e presidente do Sindicato dos Médicos do Espírito Santo (Simes), exigiu providências éticas a serem tomadas pelo Conselho para esclarecimentos dos fatos e seus autores:

"Essa foto enlameou a profissão médica. Não se deram ao respeito e faltaram com o respeito para a população. Isso nos preocupa. Parece que fizeram seis anos de medicina e não levaram consigo nem o básico dos preceitos mínimos para se tornarem um médico"

Na noite desta terça-feira (11), uma foto de alunos de medicina da Universidade Regional de Blumenau (Furb), no norte de Santa Catarina, fazendo a mesma pose, viralizou nas redes sociais.

Na imagem, um jovem está de jaleco, e dois usam estetoscópios e fazem gesto que remete a uma genitália feminina. A única diferença entre os dois registros é que os alunos de Blumenau não estavam com as calças abaixadas.

Segundo a Universidade informou ao Estadão, a imagem foi feita no Teatro Carlos Gomes, no centro de Blumenau; cinco estudantes de Medicina aparecem na foto.

"Ao tomar conhecimento de imagem veiculada nas redes sociais de alguns estudantes em postura ofensiva à sociedade, incompatível com os valores que regem a nossa instituição, repudia o episódio", disse a universidade, em nota.

LEIA MAIS:

- 10 sinais de que você está em uma relação violenta, segundo a #EuViviUmRelacionamentoAbusivo

Famosas contra cultura do estupro e violência doméstica