MULHERES

10 sinais de que você está em uma relação violenta, segundo a #EuViviUmRelacionamentoAbusivo

Relacionamento abusivo não é ficção, mas a realidade de inúmeras mulheres.

11/04/2017 11:59 -03 | Atualizado 12/04/2017 15:40 -03
Yuichiro Chino via Getty Images
Não é preciso existir violência física para estar em um relacionamento abusivo. Em grande parte deles a violência psicológica é muito maior.

Este post pode ser sensível para algumas pessoas por conter relatos de abuso.

Muitas mulheres já viveram relacionamentos abusivos em algum nível.

A receita é comum, mas um tanto complexa: a admiração que se tem pelo parceiro é confundida com uma autoestima machucada, misturada à insegurança dos padrões que são fortalecidos por uma sociedade baseada moralmente e politicamente no machismo.

Tudo isso não deixa que você enxergue a realidade do que está passando. Mas não se culpe. Isso está além de você e não necessariamente faz do seu abusador um monstro. Em nossa sociedade, as mulheres foram historicamentes criadas para servir. E isso reverbera de muitas formas nas dinâmicas sociais.

Não é preciso existir violência física para estar em um relacionamento abusivo. Em grande parte deles a violência psicológica é muito maior.

Por exemplo, você já se relacionou com alguém que te fez sentir inferior? Ou alguém um pouco mais velho que julgou ser o dono da verdade? Você já foi culpada por "estragar tudo" mesmo tendo dedicado-se ao máximo para o relacionamento? Ou, ainda, os momentos de brigas e explosão são constantes? Ele já quis regular suas roupas, suas amizades, suas atitudes e gostos? Na hora do sexo, você já se sentiu pressionada? Você ja sentiu que, em vez de liberdade e confiança, o que predominava no relacionamento era um sentimento de aprisionamento?

O caso de Emily e Marcos, participantes do reality Big Brother Brasil, repercutiu na internet. Na noite desta segunda-feira (10), Marcos foi expulso do programa acusado de agredir Emily diversas vezes.

No Twitter, a hashtag #EuViviUmRelacionamentoAbusivo se tornou um dos termos mais comentados desta terça-feira (11).

A repercussão das redes sociais só comprova que relacionamento abusivo não é ficção, mas a realidade de inúmeras mulheres.

Você nem sempre tem consciência. Mas a culpa não é sua.

Esta é uma frase constante em discussões:

O seu parceiro acha que pode regular as suas roupas, as suas amizades e as suas decisões:

Você já se sentiu presa ao relacionamento, em vez de se sentir segura e confiante
O abuso psicológico se torna agressão física e ele faz com que você acredite que merece aquilo:

Ele não deixa você terminar e te chantageia constantemente:

Você se sente sozinha e isolada:

E, algumas vezes, todos esses sentimentos podem ser identificados em outras relações, que não as amorosas...

Mas acredite, você é uma pessoa incrível!

Não se cale, por mais doloroso que seja falar sobre isso.

Não silencie!

"Foi só um empurrãozinho", "Ele só estava irritado com alguma coisa do trabalho e descontou em mim", "Já levei um tapa, mas faz parte do relacionamento". Você já disse alguma dessas frases ou já ouviu alguma mulher dizer? Por medo ou vergonha, muitas mulheres que sofrem algum tipo de violência, seja física, sexual ou psicológica, continuam caladas.

Desde 2005, a Central de Atendimento à Mulher, o Ligue 180, funciona em todo o Brasil e auxilia mulheres em situação de violência 24 horas por dia, sete dias por semana. O próximo passo é procurar uma Delegacia da Mulher ou Delegacia de Defesa da Mulher. O Instituto Patrícia Galvão, referência na defesa da mulher, tem uma página completa com endereços no Brasil. Clique aqui.

LEIA MAIS:

- Como saber se estou em um relacionamento abusivo?

- Pare de culpar sua amiga pelo relacionamento abusivo dela

18 livros para entender mais sobre feminismo e direitos das mulheres