MULHERES

Marcos agrediu Emily no BBB 17 e polícia do Rio de Janeiro diz que 'esse caso não pode ficar sem ser apurado'

"Uma discussão como a que aconteceu pode levar a uma agressão física e isso não é admissível. Nem no programa, nem na vida real", disse a Globo.

10/04/2017 19:10 -03 | Atualizado 10/04/2017 21:57 -03
Reprodução
A Globo foi extremamente criticada por não expulsar o médico do reality show.

"Você me beliscou de novo, você apertou meu pulso, tá doendo"

"Para de me apertar. Você está me apertando"

"Marcos, você não está me deixando falar"

As frases acima foram ditas por Emilly Araújo, de 20 anos, participante do BBB 17, repetidas vezes, em seu relacionamento com o cirugião Marcos Harter, de 37, dentro do reality.

Após a repercussão da briga que o casal teve na madrugada de domingo (9), Marcia Noeli Barreto, diretora da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher do Rio (Deam), determinou o registro de ocorrência.

Segungo o jornal Extra, do Rio, Barreto assistiu às imagens das brigas entre o casal. Em entrevista ao jornal, ela disse:

"Esse caso não pode ficar sem ser apurado. A tortura psicológica que ele pratica é considerada violência doméstica, se enquadra na Lei Maria da Penha. É assim que tudo se inicia. Ele não a ameaçou de morte, por exemplo, mas houve constrangimento tão forte, que ela ficou acuada."

E completa:

"Muitas mulheres não registram porque não têm consciência de que são vítimas desse tipo de violência. Uma relação como essa não tem amor. Não pode ser amor. Encostar na parede, constranger e depois dizer que ama é o início de uma situação mais grave ainda. Se não interromper, pode ter certeza que fica cada vez pior."

Segundo o BuzzFeed Brasil, a polícia do Rio foi, nesta segunda (10), ao estúdio do BBB 17, em Jacarepaguá (zona oeste do Rio), para ouvir o depoimento do médico Marcos Harter, 37.

A posição da Rede Globo

A permanência de Marcos no Big Brother Brasil 2017 e a omissão da TV Globo com relação às agressões do participante contra sua namorada Emilly enfureceram o público neste final de semana.

Na noite deste domingo (9), Marinalva acabou saindo da casa com 77,17% dos votos e Marcos comemorou sua permanência.

Nas redes sociais, a Globo foi criticada por não expulsar o médico, apelidado de "Doc", por inúmeras agressões físicas e psicológicas contra Emilly, com quem vive um relacionamento na casa.

No programa deste domingo (9), Thiago Leifert disse:

"Foi uma noite muito difícil para nós aqui e acredito que para vocês que acompanham pelo pay per view e pela internet também. Foi uma madrugada pior. Foi uma manhã muito tensa. As primeiras horas da manhã foram complicadas pra nós... O BBB é um jogo, é um programa de entretenimento que espelha a vida real. O que nós vimos hoje acontece no mundo real, porém sem as câmeras. Uma discussão como a que aconteceu hoje pode levar a uma agressão física. E isso não é admissível nem no programa nem na vida real... O Big Brother tá preparado para interferir e proteger os participantes. A gente falou com a Emilly e reforçou o que é óbvio: ela pode e deve procurar a produção do programa a qualquer momento".

Procurada pelo HuffPost Brasil, a assessoria de imprensa da TV Globo informou que o programa conversou com ambos os participantes separadamente e alertou sobre uma possível interferência caso algum deles precise de proteção.

"O BBB é um jogo, um programa de entretenimento que espelha a vida real. O que nós vimos acontece no mundo real, porém sem as câmeras. Uma discussão como a que aconteceu pode levar a uma agressão física e isso não é admissível. Nem no programa, nem na vida real.", informou, por nota.

Leia o comunicado completo:

"O Big Brother Brasil está preparado para interferir e proteger os participantes. Mesmo assim, no início da noite, conversamos separadamente com Emilly e Marcos. Dissemos a eles que o comportamento do casal nos preocupa e preocupa vocês. Conversamos primeiro com o marcos, que foi alertado sobre seu comportamento e sobre as regras do programa. Depois, falamos com Emilly e reforçamos o que é óbvio: ela pode e deve procurar a produção do programa a qualquer momento para denúncias e reclamações."

As agressões

Durante a festa do último sábado (8), o casal teve mais um desentendimento. Mascos gritou com Emilly e, em certo momento, beliscou e apertou o seu pulso. No vídeo divulgado nas redes, é possível assistir ao momento em que Emilly pede para Marcos parar:

Mas esta não é a primeira vez que Marcos demonstra um comportamento agressivo no reality. Por várias vezes ele colocou pessoas contra ela, afastou seus amigos, colocou o dedo em riste na cara da estudante, gritou, segurou seu pulso e a colocou contra a parede.

Marcos disputou com Marinalva o paredão desta semana, e permaneceu na casa. Emily é a líder desta semana. A edição de 2017, com apresentação de Thiago Leifert, chega ao fim na próxima quinta-feira (13). Na noite de hoje, o primeiro finalista será conhecido pelo Brasil.

Não silencie!

"Foi só um empurrãozinho", "Ele só estava irritado com alguma coisa do trabalho e descontou em mim", "Já levei um tapa, mas faz parte do relacionamento". Você já disse alguma dessas frases ou já ouviu alguma mulher dizer? Por medo ou vergonha, muitas mulheres que sofrem algum tipo de violência, seja física, sexual ou psicológica, continuam caladas.

Desde 2005, a Central de Atendimento à Mulher, o Ligue 180, funciona em todo o Brasil e auxilia mulheres em situação de violência 24 horas por dia, sete dias por semana. O próximo passo é procurar uma Delegacia da Mulher ou Delegacia de Defesa da Mulher. O Instituto Patrícia Galvão, referência na defesa da mulher, tem uma página completa com endereços no Brasil. Clique aqui.