MULHERES

A reação desta menina é a prova de que um sorriso é tão poderoso quanto um grito

Saffiyah Khan escolheu uma abordagem diferente para lidar com um protesto de um grupo de supremacistas raciais violentos na Inglaterra.

10/04/2017 17:26 -03 | Atualizado 10/04/2017 17:56 -03
PA WIRE/PA IMAGES
A cena que ocorreu durante um protesto da English Defence League (EDL) em Birmingham, na Inglaterra, rendeu fotos que viralizaram.

Saffiyah Khan escolheu uma abordagem diferente para lidar com um protesto de um grupo de supremacistas raciais violentos e acabou com eles com um olhar de bondade.

Em entrevista a BBC, ela resumiu sua estratégia: "As vezes é muito mais importante apenas sorrir do que sair gritando."

A cena ocorreu durante um protesto da English Defence League (EDL) em Birmingham, na Inglaterra, e rendeu comentários nas redes sociais.


O grupo de manifestantes da extrema direita estava fazendo um ato no centro da cidade inglesa em resposta ao ataque à Ponte Westminster, que ocorreu no mês passado.

O grupo islamófobo é reconhecido por seus protestos muitas vezes turbulentos e violentos.

"Eu acabei indo para a manifestação porque o grupo tem o histórico de assédio e agressão a muçulmanos, negros e minorias em seus protestos e fora deles", argumentou Khan em entrevista ao Buzzfeed.

Ela conta que estava observando a manifestação quando viu uma mulher de hijab ser completamente cercada por dezenas de homens irritados. Foi aí que ela optou por intervir. No mesmo momento, o fotógrafo da Association Press Joe Giddens conseguiu capturar o instante entre Khan e o membro da EDL, Ian Crossland.

Khan disse que "não se sentiu ameaçada de nenhuma maneira". Nas imagens, é possível ver que ela permanece sorrindo, com as mãos nos bolsos, ao longo de toda sua conversa com Crossland.

Fotógrafo contra islamofobia de Trump

LEIA MAIS:

- Morte de Dandara acelera projeto de lei que criminaliza atos de intolerância
- 'Ninguém importante virou as costas', diz jovem que revelou ter HIV
- Uma senhorinha está apagando mensagens nazistas e racistas nas ruas da Alemanha