ENTRETENIMENTO

11 momentos em que a 'Vila Sésamo' defendeu a diversidade e a inclusão

Combatendo o racismo, incluindo um menino com síndrome de Down e outros.

04/04/2017 18:54 -03 | Atualizado 04/04/2017 19:17 -03

Michael Stewart via Getty Images
The cast of "Sesame Street" at the Macy's Thanksgiving Day Parade in New York City in 2014.

A Vila Sésamo anunciou que sua personagem Julia, que tem autismo, vai estrear na televisão em abril, em um episódio que vai transmitir informações às crianças sobre esse transtorno. A decisão inovadora é apenas um dos muitos momentos de pioneirismo da série que ainda está no ar em canais americanos.

Ao longo de seus 47 anos de história, Vila Sésamo parece ter sempre abraçado a diversidade e a inclusão, levando seus personagens, os Muppets e seus amigos humanos, a falar de questões importantes (como o bullying e o divórcio) e a refletir o tipo de pessoas que as crianças realmente veem em seu dia a dia (como, por exemplo, crianças cujos pais estão nas Forças Armadas).

Há muitos outros exemplos entre os quais escolher. Mas veja abaixo 11 momentos importantes trazidos pelas pessoas criativas responsáveis pelo seriado tão amado.

1. Quando enfrentaram o racismo diretamente:

Na década de 1990 foi ao ar um episódio em que Gina, que é branca, recebe uma ligação de alguém que a viu com seu amigo Savion, negro. O espectador não ouve o que é dito ao telefone, mas Gina deixa claro que seu interlocutor não gostou de ver os dois juntos. Ela e Savion explicam a situação ao Telly Monster.

"Telly, existem umas pessoas muito estúpidas no mundo que ficam super incomodadas quando veem pessoas de raças diferentes que são amigas", diz Savion.

Gina explica: "Só porque Sav tem a pele marron e a minha é branca, ele acha que não deveríamos ser amigos. Ele fica louco quando vê a gente se divertindo juntos."

Telly pergunta o que a cor da pele tem a ver com o fato de as pessoas serem amigas. Gina responde: "Não tem nada a ver, nada mesmo."


2. Quando normalizaram a amamentação:

Na década de 1970, a cantora e compositora Buffy Sainte-Marie, que fazia parte do elenco de Vila Sésamo, normalizou o aleitamento materno, amamentando seu filho Cody no programa e explicando a Garibaldo o que é isso quando ele lhe pergunta o que ela está fazendo.

"Estou amamentando o nenê. Veja, ele está tomando leite do meu peito", diz Sainte-Marie.

"Que jeito engraçado de dar leite para o bebê", responde Garibaldo.

"Muitas mães alimentam seus filhos desse jeito", explica Sainte-Marie. "Não todas, mas muitas."


3. Quando lançaram um Muppet soropositivo

A versão sul-africana de Vila Sésamo, chamada "Takalani Sesame", lançou uma Muppet chamada Kami que tem HIV. A personagem, que também aparece na versão nigeriana do programa, transmite aos espectadores informações básicas sobre o HIV e enfrenta o estigma que o cerca. Em 2006 ela apareceu numa campanha da Unicef ao lado do ex-presidente americano Bill Clinton para incentivar os pais a falar a seus filhos sobre HIV e Aids.

4. Quando fizeram uma homenagem aos bombeiros que ajudaram pessoas no 11 de setembro de 2001

Após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, Vila Sésamo pôs no ar um episódio em que ocorre um incêndio na cozinha da Hooper's Store. O incidente deixa Elmo traumatizado, e mais tarde ele recebe um convite para ir à sede do corpo de bombeiros para saber mais sobre o trabalho deles.
Segundo o New York Daily News, no final do episódio foram mostrados agradecimentos ao corpo de bombeiros de Nova York, e o episódio foi dedicado ao tenente Robert Nagel, bombeiro de Nova York que morreu no 11 de setembro.

5. Quando mostraram um garoto com síndrome de Down

Os pais de hoje ainda lutam para que crianças com síndrome de Down sejam representadas na mídia e na vida cultural. Mas Vila Sésamo fez isso sem dificuldade, anos atrás. De acordo com o Los Angeles Times, Jason Kingsley, um garoto com síndrome de Down, estreou na série infantil educativa quando tinha 15 meses de idade. Sua mãe, Emily Kingsley, que era roteirista de Vila Sésamo, aproveitou a vivência com seu filho para defender mais inclusão para crianças com deficiências.

Jason pode ser visto em 55 episódios de Vila Sésamo dos anos 1970, contando, soletrando e se divertindo com seus amiguinhos Muppets.


6. Quando fizeram uma criança explicar as partes de sua cadeira de rodas

Emily Kingsley fez pressão para que a série também destacasse crianças com outras deficiências. Tarah Schaeffer, uma menina com osteogênese imperfeita e que usava cadeira de rodas, estreou em "Sesame Street" nos anos 1990. Ela cantava uma música com a melodia de "The Wheels on the Bus", explicando as partes diferentes que compunham sua cadeira de rodas.

No livro de Charles A. Riley II Disability and the Media: Prescriptions for Change, Kingsley explicou por que é importante que crianças com deficiências façam parte do elenco, que também inclui personagens com deficiência auditiva e visual:

"Incluímos crianças com deficiências como parte da turminha. As crianças na plateia se sentem validadas quando veem outras que são como elas. Seus irmãos recebem um reforço tranquilizador quando veem no programa crianças como as de suas próprias famílias. Fazemos as deficiências perder sua estranheza. Por que as pessoas deveriam ter medo de quem é diferente?"


7. Quando incluíram um Muppet cujo pai estava na prisão

Em seu vídeo informativo Little Children, Big Challenges: Incarceration, Vila Sésamo lançou luz sobre as crianças com pais encarcerados. Um Muppet chamado Alex explica a seus amiguinhos, quando dizem que os papais devem ajudá-los com um trabalho escolar, que o pai dele está na cadeia. Sofia, uma amiga dele, então revela que seu pai também ficou preso quando ela era menor. Sofia aproveita para explicar aos outros Muppets o que significa "estar encarcerado" e para dar apoio a Alex.

8. Quando trataram do tema da morte

O ator Will Lee representou o personagem Mr. Hooper desde o primeiro episódio de Vila Sésamo. Após sua morte, em 1982, os criadores do programa decidiram tratar da morte em um episódio que foi ao ar na mesma década. Nele, Big Bird (Garibaldo) é recordado de que Mr. Hooper morreu, mas insiste que seu amigo amado vai voltar. É quando seus outros amigos humanos explicam que Mr. Hooper não vai reaparecer e dizem a Garibaldo que ele sempre vai conservar as lembranças de seu amigo.

Em entrevista que deu em 2004 ao Archive of American Television, Loretta Long, que fez Susan Robinson no programa, comentou: "Ainda hoje as pessoas me abordam na rua para me dizer como foi importante para elas poder falar com seus filhos sobre a morte."


9. Quando lançaram um Muppet afegão que promove os direitos das meninas

Em 2016 Vila Sésamo lançou sua primeira Muppet afegã, Zari, que defende os direitos das meninas. Segundo o press release do programa, Zari entrevista profissionais afegãos para saber mais sobre identidade nacional e bem-estar físico, social e emocional.

Sherrie Westin, vice-presidente executiva de impacto global e filantropia do Sesame Workshop, descreveu Zari como "uma oportunidade perfeita para chamar a atenção de meninos e meninas para o empoderamento das meninas e a apreciação da diversidade, em nosso esforço para ajudar todas as crianças no Afeganistão a crescer mais inteligentes, mais fortes e mais bondosas".


10. Quando festejaram o cabelo natural

Vila Sésamo certa vez exibiu uma ode ao cabelo natural, com a ajuda de um de seus roteiristas e de sua filha. A canção I Love My Hair apareceu em um episódio de 2010. Segundo a NPR, o roteirista chefe e criador de Muppets Joey Mazzarino compôs a canção com sua filha, então com 5 anos, adotada por ele e sua mulher na Etiópia. Mazzarino disse que escreveu a letra depois de ver sua filha brincando com bonecas e observar que ela queria ter cabelo loiro, comprido e liso.

Na canção, a personagem canta: "Use uma fivela ou um lacinho, deixe seu cabelo livre num afro, meu cabelo fica lindo de trancinha. Ele faz tantas coisas, é por isso que eu o deixo crescer. Amo meu cabelo."


11. Quando discutiram a adoção

Na década de 1980, o programa falou à criançada sobre adoção, quando os personagens Susan e Gordon Robinson disseram a seus vizinhos em Vila Sésamo que iam adotar um filho chamado Miles. Em 2006, uma atriz do elenco, Gina, divulgou uma notícia semelhante, anunciando que estava adotando um menino da Guatemala.