NOTÍCIAS

MEC nega ter acabado com Ciências Sem Fronteiras e anuncia 5 mil bolsas de estudo para pós-graduação

O MEC esclareceu que a Capes mantém editais para bolsas de pós-graduação.

02/04/2017 17:34 -03 | Atualizado 02/04/2017 18:16 -03
ANDRESSA ANHOLETE via Getty Images
O MEC esclareceu que a Capes mantém editais para bolsas de pós-graduação, como mestrado, doutorado e pós-doutorado e que abrirá cinco mil vagas neste ano.

O Ministério da Educação divulgou neste domingo (2) que o programa que oferece bolsas de estudos para estudantes de universidades públicas, o Ciências Sem Fronteiras, não acabou.

Mais cedo, o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, informou que o ministro da Educação, Mendonça Filho, havia decidido encerrar o programa para alunos de graduação após verificar que gastaria cerca de R$ 40 milhões para sustentar os alunos no exterior. O programa foi uma das iniciativas mais elogiadas durante o governo Dilma Rousseff.

De acordo com a coluna, a avaliação do MEC é que o programa "não trouxe resultados devido à deficiência em inglês dos brasileiros e à falta de diretrizes claras".

O MEC esclareceu que a Capes mantém editais para bolsas de pós-graduação, como mestrado, doutorado e pós-doutorado e que abrirá cinco mil vagas neste ano.

A nota ainda afirma que o CsF para graduação já havia se encerrado com o último edital de 2014, no governo de Dilma. O governo acrescenta que ainda há cerca de quatro mil bolsistas remanescentes deste edital no exterior e que eles estavam sem recursos.

"A atual gestão encontrou o programa com dívidas elevadas deixadas pelo governo anterior. A primeira e imediata providência da atual gestão foi garantir recursos financeiros para honrar os compromissos assumidos com os bolsistas no exterior, a fim de não prejudicá-los", acrescentou a nota do ministério.

O MEC ainda afirma que foi feita uma avaliação em julho de 2016 sobre a modalidade de graduação e chegou à conclusão de que seria alto o custo para manter os alunos e atualmente discute "novas estratégias de internacionalização e 'apoio à excelência nas universidades".

"Eram 35 mil bolsistas de graduação a um custo médio no exterior de R$ 100 mil por ano, enquanto o custo anual da merenda escolar, por aluno, é de R$ 94. Só em 2015, o Ministério destinou R$ 3,7 bilhões para manter o Programa Ciência Sem Fronteiras - o mesmo valor investido na merenda escolar de 39 milhões de alunos da Educação Básica no país."

LEIA MAIS:

- 'Novo Ensino Médio' proposto pelo governo Temer terá mais horas e grade aberta

Ideb: Como está a educação no seu Estado?