NOTÍCIAS

Defesa da Lava Jato e crítica ao voto em lista fechada reúnem manifestantes pelo Brasil

Valorização da Operação Lava Jato e do juiz Sergio Moro, pedidos de prisão de políticos e críticas aos votos em lista fechada unem movimentos sociais difusos.

26/03/2017 16:41 -03 | Atualizado 26/03/2017 18:07 -03
Fernando Frasão/ Fotos Públicas
Defesa da Operação Lava Jato reune manifestantes em todo o Brasil.

Protestos convocados pelas redes sociais reúnem neste domingo (26) manifestantes em pelo menos 10 cidades do Brasil.

Os movimentos MBL (Movimento Brasil Livre) e Vem Pra Rua, que protagonizaram as manifestações em defesa do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, voltam a liderar os protestos.

Porém, as manifestações deste domingo tiveram menos adesão que protestos anteriores, como o de março de 2016 que pedia a saída de Dilma Rousseff.

Valorização da Operação Lava Jato e do juiz Sergio Moro, críticas ao esquema de votos em lista fechada e pedidos de prisão de políticos corruptos são as pautas que unem os movimentos sociais difusos que hoje estão na rua. Outros temas, como a terceirização e a reforma da presidência, contudo, ainda dividem opiniões.

Reprodução/Facebook

Em Brasília, cerca de 500 pessoas reuniram-se em frente ao Congresso Nacional, de acordo com informações da Folha. Os manifestantes aturam um "enterro simbólico" de políticos envolvidos em denúncias, como os ex-presidentes Collor, Lula e Dilma, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Em Curitiba, o público é de cerca de 4 mil pessoas, segundo a Polícia Militar. Liderados por carros de som, os protestantes pediam o fim do foro privilegiado e criticavam as "tentativas" do Congresso de minar a Operação Lava Jato. Eles também pediam "Lula na cadeia" e afirmavam que uma "onda verde e amarela" iria tomar conta do País.

Em São Paulo, os protestos concentraram-se na Avenida Paulista e os manifestantes dividiam-se entre os carros de som dos organizadores. Até a publicação da reportagem, a PM não havia divulgado sua estimativa de participantes. Já o MBL afirmou que pelo menos 15 mil pessoas compareceram aos atos na capital.

A advogada Janaína Paschoal esteve presente na manifestação. Ela defendeu que o impeachment de Dilma não teve a pretensão de ser a "solução" para o país, mas o início de um "longo processo de depuração da política nacional". Além dela, nomes como Alexandre Frota e Ronaldo Caiado posaram para fotos com manifestantes.

Veja fotos das manifestações:

Manifestações 26/03/2017