NOTÍCIAS

Frigoríficos com irregularidade são 'ínfima minoria', diz Conselho Nacional da Pecuária de Corte

Em nota enviada à imprensa, o CNPC ainda pede a punição severa de todos os envolvidos

20/03/2017 16:08 BRT | Atualizado 20/03/2017 16:33 BRT
Bloomberg via Getty Images
O comunicado também enfatiza que o problema foi identificado em 21 empresas, dentro de 4.700 frigoríficos do País

O Conselho Nacional da Pecuária de Corte (CNPC) afirmou nesta segunda-feira (20) que o esquema de corrupção identificado pela Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, está sendo "averiguada com a devida profundidade".

Em nota enviada à imprensa, o CNPC ainda pede a punição severa de todos os envolvidos, pois eles causaram "enormes prejuízos a todos os segmentos da cadeia da pecuária de corte". O comunicado também enfatiza que o problema foi identificado em 21 empresas, dentro de 4.700 frigoríficos do País. "Tais dados representam uma ínfima minoria."

Na última sexta-feira (17), a Polícia Federal deflagrou uma carnes em péssimo estado sendo vendidas em frigoríficos do País. Executivos do frigorífico JBS e da empresa BRF Brasil foram detidos e a Justiça mandou bloquear até R$ 1 bilhão dos investigados.

De acordo com as investigações, foram encontradas diversas irregularidades em frigoríficos, como reembalagem de produtos vencidos, inobservância da temperatura adequada das câmaras frigoríficas, venda de carne imprópria para o consumo humano e assinaturas de certificados para exportação fora da sede da empresa e do MAPA sem checagem.

Também foi constatado o uso de produtos cancerígenos em doses altas para ocultar as características que impediriam o consumo pelo consumidor.

Na noite de ontem (19), o presidente Michel Temer anunciou que o governo vai acelerar o processo de auditoria nos estabelecimentos citados na investigação da Polícia Federal. "Na verdade, são 21 unidades, no total, três dessas unidades foram suspensas e todas as 21 serão colocada sob regime especial de fiscalização a ser conduzida por força tarefa do Ministério da Agricultura", disse Temer.

O comunicado do CNPC acrescenta que as fraudes identificadas não envolvem a carne bovina, "segmento no qual o Brasil ostenta o honroso título de maior exportador mundial".

Temer e embaixadores na churrascaria