NOTÍCIAS

Carne Fraca: Ministério da Agricultura diz que inspeção é eficiente e que denúncias são pontuais

Ao todo, 33 fiscais federais estão sob investigação da Operação Carne Fraca.

19/03/2017 11:58 -03 | Atualizado 19/03/2017 12:54 -03
YASUYOSHI CHIBA via Getty Images
Após divulgação da Operação Carne Fraca, mulher compra carne em supermercado no Rio.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento divulgou nota neste sábado (18) em que afirma que o "Serviço de Inspeção Federal brasileiro é considerado um dos mais eficientes e rigorosos do mundo".

Segundo o governo, o serviço tem 2,3 mil funcionários que inspecionam 4.837 unidades produtoras habilitadas a exportarem carne para 160 países. "Foi com este Serviço que construímos uma reputação de excelência na agropecuária e conseguimos atender às exigências rigorosas de diferentes nações", diz a nota.

O ministério afirma ainda que as denúncias que vieram à tona com a Operação Carne Fraca são "fatos pontuais", após a denúncia inicial de um fiscal.

Ao todo, 33 fiscais federais estão sob investigação. "O governo brasileiro, através de seus serviços de fiscalização, da Polícia Federal e outros órgãos de controle cumpre seu papel de garantir a qualidade e sanidade, tanto dos produtos alimentícios destinados ao mercado externo quanto ao mercado interno, sejam de origem animal ou vegetal."

Ainda de acordo com a nota, a investigação da Polícia Federal e as medidas tomadas pelas autoridades do Ministério da Agricultura são "a maior prova de que nossos sistemas de proteção e fiscalização está alerta e funcionando plenamente e servem como garantia ao consumidor da qualidade dos produtos de origem agropecuária de nosso país".

Operação Carne Fraca

De acordo com as investigações da Polícia Federal, frigoríficos envolvidos no esquema criminoso "maquiavam" carnes vencidas com ácido ascórbico e as reembalavam para conseguir vendê-las. As empresas, então, subornavam fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para que autorizassem a comercialização do produto sem a devida fiscalização.

A carne imprópria para consumo era destinada tanto ao mercado interno quanto à exportação. A Operação Carne Fraca foi deflagrada na sexta-feira (17).

'Grande chefe'

Uma conversa capturada pela Polícia Federal mostra a relação do atual ministro da Justiça, Osmar Serraglio com o fiscal agropecuário Daniel Gonçalves Filho, superintendente do Ministério da Agricultura no Paraná entre 2007 e 2016, um dos alvos da investigação.

No diálogo, Serraglio cumprimenta Daniel, apontado como 'líder da organização criminosa', com a frase 'Grande chefe, tudo bom?". Deputado do PMDB do Paraná licenciado, Serraglio alerta Daniel sobre uma inspeção em um frigorífico em Iporã (PR).

O frigorífico Larissa pertence ao empresário Paulo Rogério Sposito, candidato a deputado federal pelo estado de São Paulo em 2010 com o nome Paulinho Larissa.

Em diálogo com um funcionário, Paulo não se mostra surpreso ao tratar da substituição de etiquetas de validade em uma carga inteira de carnes ou com a utilização de carnes vencidas há 3 meses para a produção de outros alimentos.

Proteína não precisa vir da carne

Operação Carne Fraca: Ministério da Agricultura diz que denúncias são 'pontuais' e inspeções, 'eficientes'