MULHERES

'Hoje não, filho da p***': Mulher conseguiu fugir de tentativa de estupro

Kelly Herron conta que usou técnicas de defesa pessoal que tinha aprendido no seu trabalho.

13/03/2017 19:34 -03 | Atualizado 14/03/2017 17:52 -03
Reprodução/Instagram
Uma corredora americana conseguiu fugir de uma tentativa de estupro.

"Meu pior pesadelo durante as corridas tornou-se realidade."

Foi assim que a americana Kelly Heron, 36 anos, definiu a sua experiência enquanto fazia um treino de corrida em Seattle. Ela foi vítima de uma tentativa de estupro, mas conseguiu fugir.

Em seu relato publicado no Instagram, Heron conta que usou técnicas de defesa pessoal que tinha aprendido na última semana em seu trabalho e gritou "Hoje não, filho da p***" para afastar o homem que tentou violentá-la.

My biggest running nightmare became reality- 4 miles into my long run Sunday afternoon, I stopped to use the restroom and was assaulted by a man hiding in a stall (that is my GPS in red lines). I fought for my life screaming("Not today, M**F**er!"), clawing his face, punching back, and desperately trying to escape his grip- never giving up. I was able to lock him in the bathroom until police arrived. Thankfully I just took a self-defense class offered at my work and utilized all of it. My face is stitched, my body is bruised, but my spirit is intact. #fightingchanceseattle #ballard #runnersafety #marathontraining #womensselfdefense #myballard #fightlikeagirl #fightback #dontbeavictim #nottodaymotherfucker #youcantbreakme #instarunners #garmin #garminvivosmarthr

A post shared by Kelly Herron (@run_kiwi_run) on

A atleta estava correndo no Golden Gardens Park, em Seattle, e parou para usar um banheiro público. Em entrevista a ABC, ela contou que começou a perceber uma movimentação estranha enquanto lavava as mãos. Quando o homem tentou atacá-la, ela lutou contra ele com todas as suas forças e conseguiu fugir. Com a ajuda de um transeunte que passava no local, eles prenderam o homem no banheiro até a chegada da polícia.

De acordo com informações da polícia, um homem identificado como Gary Steiner, de 40 anos, estava se escondendo no banheiro e a atacou. Ele é um agressor sexual com registros recorrentes no estado.

Em outro post no Instagram, ela mostrou que estava se recuperando dos ferimentos e incentivou que outras vítimas de tentativa de violência falassem sobre o tema.

"Eu não poderia ficar em silêncio, ser uma vítima anônima – existe uma mensagem de sobrevivência que é importante demais para permanecer não dita."

Em entrevista a televisão americana ABC, ela disse que se sente ainda mais forte como mulher e que o ocorrido não vai atrapalhar os seus treinos para a próxima maratona.

Ni Una A Menos: Argentina contra a violência de gênero