ENTRETENIMENTO

Caetano Veloso: 'Tenho horror à maconha, mas sou a favor da legalização'

Em vídeo, cantor defende liberação e legalização de "todas as drogas" no Brasil.

09/03/2017 11:01 -03 | Atualizado 09/03/2017 13:51 -03
AFP/Getty Images

Produtora de cinema e empresária de Caetano Veloso, Paula Lavigne entrou numa verdadeira cruzada nas redes sociais em defesa da legalização da maconha no Brasil.

Em viagem pela capital do Uruguai, acompanhando uma turnê do cantor, na última terça-feira (7), ela postou no Instagram um vídeo que gerou controvérsia.

No registro, Paula aparece ao lado de um amigo fumando maconha e faz considerações sobre como a erva é tratada no Brasil e no Uruguai.

"Estamos aqui na rua, em Montevidéu, com um baseado na mão, superlegalizado, sem problema nenhum, coisa que a gente tem que fazer no Brasil. Aqui você pode plantar seis plantas em casa e fumar em qualquer lugar. Então, a gente tem que descriminalizar a maconha no Brasil para abrir vaga nos presídios para os políticos. Lugar de maconheiro não é na prisão."

Amigo de Paula, o produtor Tino Monetti completa: "É na rua".

Na legenda, ela escreveu: "Em Montevidéu fumando maconha livremente na rua".

Assista:

A postagem gerou polêmica: muitos seguidores apoiaram o discurso da produtora. Outros reprovaram seu posicionamento.

"Post que não agrega em nada. Tantas causas justas para se apoiar e é isso que ela vem postar. Ela e Caetano poderiam morar fora do Brasil. Só defendem lixo: drogas e PT", escreveu um seguidor nos comentários.

Após repercussão do vídeo, nesta quarta-feira (8) a empresária publicou um desabafo na rede social, rebatendo as críticas dos seguidores. "Não estou mandando ninguém fumar maconha e, sim, militando pela descriminação dessa", ela explica no início do post.

Leia na íntegra:

"Esclarecendo pra alguns que não alcançam o raciocínio: não estou mandando ninguém fumar maconha e, sim, militando pela descriminação dessa. Alguém vai ter coragem de dizer que o álcool devia ser proibido? Qual o valor medicinal do álcool? Muitos países já viram o potencial medicinal da maconha, e no Brasil a pessoa ainda é detida pela polícia se estiver usando maconha. É crime! Álcool vicia muito mais, e no Brasil até menores bebem, não há controle! O nome disso é hipocrisia!"

No final da noite, a empresária voltou ao Instagram para falar sobre o assunto, dessa vez com a companhia de Caetano Veloso - que também apóia a legalização da erva.

No novo vídeo, Paula questiona se Caetano fuma maconha.

Ele responde: "Não, Deus me livre. Tenho horror à maconha. A sensação que me provoca é péssima. Experimentei nos anos 60, mas odiei, detestei. Mas, eu sou a favor da liberação e da legalização da maconha, aliás, de todas as drogas".

"De todas?", ela pergunta.

Caetano prossegue: "Eu sou, porque legalizado com imposto, é melhor. Isso precisa de um amadurecimento da sociedade, eu até entendo".

"Mas tem que tirar a maconha da lista das drogas pesadas", opina Lavigne.

Caetano encerra:

Claro, é um bom começo já a maconha sair da turma das drogas pesadas, e passar a ser legal, sendo que o álcool é uma droga pesada e é legal.

Assista abaixo:

Na legenda, Paula Lavigne convidou os seguidores para um debate sobre o tema:

Caetano Veloso não bebe, não fuma, não usa droga nenhuma e é mais radical que eu quanto a liberação das drogas! Espero que a gente possa ter uma discussão de nível, ninguém precisa concordar com ninguém, e as redes sociais deveriam ser usadas para elevar o nível da conversa e não baixar. Vamos tentar?

Estas 'freiras' plantam maconha na Califórnia