MULHERES

As mulheres que protestam ao redor do mundo por seus direitos no 8 de março

O mundo precisa refletir sobre a desigualdade de gênero.

08/03/2017 15:51 BRT | Atualizado 08/03/2017 17:39 BRT
Getty Images
Protesto de mulheres na Turquia.

Tarefas domésticas, maternidade compulsória, assédio, desigualdade salarial, invisibilidades, abusos psicológicos. Violências.

O dia 8 de março é reconhecido como o Dia Internacional da Mulher.

Neste ano, movimentos feministas do mundo inteiro lançaram uma campanha para uma greve geral de mulheres. A manifestação internacional deve ter adesão de pelo menos 40 países, entre eles Brasil, Argentina, Polônia, Estados Unidos, Uruguai, Peru e Itália.

A ideia é que o mundo viva um dia sem mulheres e reflita sobre a desigualdade de gênero que ainda persiste nos ambientes de trabalho, nos lares e nas ruas.

Mas nem todas as mulheres conseguem, simplesmente, boicotar um dia de trabalho. E o motivo pode estar nas relações trabalhistas frageis, por compromisso em relação à equipe de trabalho - e até mesmo para com outras mulheres - ou pelo medo de retaliação e de perder o emprego.

Porém, isso não impediu que elas aderissem ao movimento de alguma forma e se tornassem inspiração para tantas outras se manisfestarem.

Nos EUA, elas elegeram a cor vermelha para simbolizar a adesão à greve.

E decidiram não trabalhar de graça. Muitas mulheres se recusaram a fazer o trabalho doméstico como forma de protesto. Esse tipo de serviço não é reconhecido como trabalho em muitos lares. E na maior parte das vezes é responsabilidade exclusiva delas, que precisam lidar com jornadas triplas de trabalho.

Algumas simplesmente não foram trabalhar.

Outros estabelecimentos não funcionaram.

We'll be back tomorrow, if you're lucky. #DayWithoutAWoman #IWD2017

A post shared by Laura Greene (@lgreene91) on

Elas escreveram para os políticos e reforçaram as suas demandas por equidade.

E elas tomaram as ruas!

Another peaceful protest. #roomwithaview #iwd #womenempowerment #daywithoutawoman #girlpower

A post shared by Linda Tosti (@toastiepower) on

Na Polônia, milhares de mulheres ocuparam a praça central para protestar.

E ao redor do mundo, outras tantas mulheres também fizeram ecoar suas vozes.

  • Murad Sezer / Reuters
    Ativistas tomam as ruas em Istambul, na Turquia.
  • Kevin Lamarque / Reuters
    Uma mulher segura um cartaz em frente a Casa Branca, nos Estados Unidos. A frase diz "Me liberte ou me mate". 
  • Kevin Lamarque / Reuters

    Manifestação em frente a Casa Branca no Dia Internacional da Mulher.

  • Kevin Lamarque / Reuters
    Manifestação em frente a Casa Branca no Dia Internacional da Mulher.
  • Anadolu Agency via Getty Images
    Manifestação em frente a Casa Branca no Dia Internacional da Mulher.
  • ORLANDO SIERRA via Getty Images
    Centenas de mulheres marcham em Honduras. 
  • FILIPPO MONTEFORTE via Getty Images
    Na Itália, mulheres seguram cartazes sobre igualdade de gênero em marcha do Dia Internacional da Mulher. 
  • FILIPPO MONTEFORTE via Getty Images
    Mulheres protestam em Roma. 
  • TIMOTHY A. CLARY via Getty Images
    Protesto em nova York, nos EUA.
  • NurPhoto via Getty Images
    Centenas de mulheres tomaram as ruas em Dublin, na Irlanda.
  • NurPhoto via Getty Images
    Feministas na Ucrânia com seus cartazes.
  • NurPhoto via Getty Images
    Mulheres ocupam praça de Dublin, na Irlanda.
  • NurPhoto via Getty Images
    Manifestação em Kiev, na Ucrânia.
  • NurPhoto via Getty Images
    Protestos em Dublin, na Irlanda.