LGBT

Nosso luto por Dandara, a travesti torturada e morta por 5 homens em Fortaleza

Imagens mostram Dandara, de 42 anos, sendo espancada.

05/03/2017 15:06 BRT | Atualizado 10/03/2017 20:26 BRT
Divulgação
Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais, de acordo com ONG europeia.

A travesti Dandara, de 42 anos, foi espancada, torturada e morta por cinco homens em 15 de fevereiro, no bairro Bom Jardim, em Fortaleza (CE), de acordo com o jornal O Povo.

No vídeo com pouco mais de um minuto, aparecem imagens da vítima sendo recebendo chutes e tapas e sendo agredida com um pedaço de madeira. Ela sangra e tenta subir no carrinho de mão enferrujado.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que as investigações sobre o crime estão a cargo do 32º Distrito Policial e "estão bem adiantadas".

Três dias antes de Dandara ser morta, a travesti Hérika Izidoro, de 24 anos, foi espancada na avenida José Bastos, na volta de uma festa de pré-Carnaval, também na capital cearense.

A vítima foi encaminhada para o Instituto Doutor José Frota (IJF), onde foi diagnosticada com traumatismo craniano. Segundo o hospital, Hérika continua internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Sobre o caso de Hérika, a SSPDS informou o inquérito está em andamento pelo 3º Distrito Policial.

Com 600 mortes em seis anos -- um dado divulgado em 2015 --, o Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais.

ATUALIZAÇÃO:

Quatro adolescentes suspeitos de espancar e matar Dandara foram capturados e internados por 45 dias em centros de internação.

Parada do Orgulho LGBT faz Paulista BRILHAR contra a transfobia e governo Temer