POLÍTICA

Este prefeito deu uma bronca em médico que faltou ao trabalho e vídeo viralizou

Sindicato de Médicos de Caxias do Sul convocou paralisação na cidade após prefeitura instituir ponto eletrônico.

04/03/2017 17:16 BRT | Atualizado 04/03/2017 17:24 BRT
Reprodução / Youtube

Daniel Guerra (PRB), novo prefeito de Caxias do Sul, cidade da serra gaúcha, ligou para um médico que falou ao trabalho em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para cobrar explicações.

"Você poderia me dizer qual é o motivo da sua ausência aqui na UBS [Unidade Básica de Saúde]? É o seu dia de plantão. Tem 16 pacientes na sua agenda e o senhor não está aqui atendendo?", diz o prefeito ao médico em vídeo divulgado por sua assessoria de imprensa na última quinta-feira (2) e com mais de 200 mil visualizações.

O Sindicato dos Médicos de Caxias do Sul havia convocado uma paralisação de três dias na cidade.

A nova gestão anunciou que os 342 médicos deveriam bater o ponto eletrônico a partir de 1º de março para comprovar o cumprimento da carga horária contratada. Os médicos discordam da medida e 85% deles aderiram à greve encerrada nesta sexta-feira (3).

No vídeo, Daniel Guerra afirma que o salário do médico está em dia e que por isso ele deve "cumprir o papel de servidor", "em respeito à população".

Não sou político, sou gestor. Como tal fui 'contratado' pela população. Cumprir carga horária e bater o seu ponto é algo normal para todos os trabalhadores.Daniel Guerra

O Ministério Público já havia orientado a prefeitura, na gestão passada, sobre a necessidade do ponto eletrônico para os médicos, já instalados.

A prefeitura considera a greve ilegal porque não teria sido avisada com 72 horas de antecedência. O sindicato dos médicos alega que notificou a prefeitura sobre a paralisação.

O prefeito fez uma seleção para escolher os funcionários em cargos de confiança (ou comissão) com base no currículo profissional, de acordo com a Folha de São Paulo.

Guerra venceu a eleição com 62,79% dos votos válido. candidato apoiado pelo governador gaúcho, José Ivo Sartori (PMDB), Edson Néspolo (PDT), conquistou 37,21%.

João Doria 'vira' gari em São Paulo