MUNDO

Em 1º discurso no Congresso, Trump promete construção do muro na fronteira do México em breve

"Estamos tirando criminosos e vendedores de drogas que ameaçam nossas comunidades e nossas crianças."

01/03/2017 10:01 -03 | Atualizado 01/03/2017 13:43 -03
POOL New / Reuters
U.S. President Donald Trump delivers his first address to a joint session of Congress from the floor of the House of Representatives iin Washington, U.S., February 28, 2017. REUTERS/Jim Lo Scalzo/Pool

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, realizou na noite desta terça-feira (28), o seu primeiro discurso no Congresso norte-americano com legisladores tanto da Câmara quanto do Senado e foi bem mais otimista que quando falou em sua posse no dia 20 de janeiro.

Ao contrário do que disse no começo do ano, que o país estava sofrendo um "massacre americano", o mandatário falou sobre esperança e coragem.

"Devemos ter a coragem de exprimir os nossos sonhos que preenchem nossos corações, a bravura para expressar as esperanças que mexem com nossas almas e a confiança para transformar em ações estes sonhos e esperanças", disse Trump.

No plenário, o magnata falou sobre diversos assuntos, sendo um dos principais imigração. Sobre isso, o republicano defendeu a criação de um programa de imigração por mérito e capacitação dos requerentes. Segundo ele, países como Canadá e Austrália adotam ótimos sistemas nos quais os imigrantes só são aceitos nos país se tiverem condições se sustentar e de arranjar trabalho.

Além disso, para o republicano, o sistema atual norte-americano está desatualizado e requer "muitos bilhões de dólares por ano".

"Se passarmos do atual programa de imigração de pessoas com baixa capacitação e adotarmos um sistema baseado no mérito, teremos muitos benefícios: pouparemos dólares, elevaremos os salários e ajudaremos as famílias em dificuldades, incluindo as de imigrantes, a ingressar na classe média", afirmou o mandatário.

Ainda sobre imigração, Trump voltou a ressaltar a importância do muro na fronteira entre os EUA e o México, dizendo que a sua construção deve começar em "breve" e que ele conseguirá conter "as drogas e o crime", além de fortalecer as fronteiras.

"Estamos tirando criminosos e vendedores de drogas que ameaçam nossas comunidades e nossas crianças. Essas pessoas estão indo embora enquanto falamos aqui nesta noite, como eu havia prometido", disse o presidente norte-americano.

Trump ainda deixou claro que irá "proteger o país contra o terrorismo radical islâmico" e que não deixará que ele se torne "um santuário para extremistas". "Meu governo está trabalhando em melhores procedimentos de veto e logo tomaremos novos passos para manter a nossa nação segura", confirmou o mandatário.

Já sobre economia, o magnata, que foi recebido por aplausos calorosos de grande parte dos republicanos, que são a maioria nas duas Casas, e até por protestos silenciosos por algumas deputadas democratas, reforçou sua intenção de aumentar em quase 10% as verbas para os setores militares do país no orçamento federal de 2018, o que seria um modo de "manter a América segura".

Sobre a reforma tributária que pretende aplicar nos EUA, o presidente disse que ela será "histórica" e que diminuirá a taxa de imposto para empresas, o que dará um "enorme alívio fiscal" para elas e para a classe média.

Por fim, Trump também pediu mais uma vez que os deputados e senadores se juntem para conseguir extinguir e substituir o programa de saúde Obamacare. "Estou pedindo a todos os democratas e republicanos no Congresso para que trabalhem conosco para salvar os norte-americanos deste desastre implosivo do Obamacare".

Leia mais notícias em ANSA

As muitas faces de Donald Trump