ENTRETENIMENTO

Adeus, livros e eletroeletrônicos: Fnac anuncia que deixará o Brasil

Empresa já procura comprador para ficar com as 12 lojas no país.

28/02/2017 21:24 -03 | Atualizado 28/02/2017 21:30 -03
Bloomberg via Getty Images

A varejista francesa de livros e eletroeletrônicos Fnac anunciou que planeja sair do Brasil e já procura por um comprador para ficar com as 12 lojas espalhadas pelo país.

O anúncio foi feito em um comunicado que detalha os resultados da empresa em 2016.

A Fnac Darty, novo nome do grupo após fusão com a concorrente Darty, classificou sua subsidiária brasileira como "operação descontinuada" e "começou um processo ativo para buscar um sócio que dê lugar à retirada do país".

No comunicado, a companhia afirma que houve equilíbrio entre despesas e receitas no último ano no Brasil e que a rentabilidade das vendas têm aumentado.

De acordo com o jornal Valor Econômico, Claudia Elisa Soares, presidente da Fnac no Brasul, foi demitida no começo de fevereiro, um anos após a contratação, em um cenário de queda de vendas no país.

Ainda segundo o jornal, nos nove meses até setembro de 2016, as vendas da empresa no país apresentaram queda de 21,6%, ou de 12,2% em bases cambiais constantes – justificado como um reflexo da recessão econômica.

De acordo com a Folha de S. Paulo, o Brasil representa menos de 2% do volume de vendas total da companhia – que registrou 54 milhões de euros de lucro líquido ajustado, um aumento de 37% em relação à 2015.

A receita total do ano foi de 7,4 bilhões de euros, alta de 1,9%.

Os livros prediletos de João Doria (PSDB)