LGBT

Levy Fidelix é multado por falas homofóbicas durante debate presidencial

Em 2014, o político comparou a homossexualidade à pedofilia e afirmou que "aparelho excretor não reproduz".

22/02/2017 11:03 -03 | Atualizado 22/02/2017 12:17 -03
Nacho Doce / Reuters
Levy Fidelix é multado por fala homofóbica.

Nos debates presidenciais de 2014, o candidato Levy Fidelix (PTRB) afirmou que "aparelho excretor não reproduz".

Porém, como explicado nesta matéria, talvez o político não tenha frequentado tantas aulas de biologia assim, já que o pênis é o único órgão relacionado ao aparelho excretor que está envolvido também na reprodução.

A fala de Fidelix associava a homossexualidade à pedofilia e fazia campanha contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Nesta quarta-feira (22), a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania de SP decretou que Fidelix deverá pagar uma multa de R$ 25.700, segundo a decisão assinada pelo titular da pasta, Márcio Elias Rosa.

A decisão mantem a condenação aplicada ao parlamentar pela Comissão Especial de Discriminação Homofóbica, de acordo com as informações da Folha de S. Paulo.

No debate, o Levy pediu coragem aos brasileiros heterossexuais para "enfrentar a minoria", já que "dois iguais não fazem filho".

Na época, a fala do político causou revolta nas redes sociais e foi aberto um pedido na plataforma de mobilizações Avaaz para que a Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania de São Paulo, órgão do governo estadual, abrisse um processo administrativo contra Levy com base na legislação que pune a discriminação por orientação sexual.

Durante as eleições, o candidato ficou na 7º posição e teve 0.43% dos votos.

A homofobia em 2014