POLÍTICA

Lula, Dilma e Mercadante tentaram obstruir a Lava Jato, diz Polícia Federal

Sem foro privilegiado, Lula, Dilma e Mercadante devem ser julgados na primeira instância.

20/02/2017 19:28 -03 | Atualizado 20/02/2017 22:02 -03
Montagem/Agência Brasil
Lula, Dilma e Mercadante são acusados de obstruir as investigações da Lava Jato

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-ministro Aloizio Mercadante tentaram atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato, de acordo com a Polícia Federal. A informação foi confirmada pelo jornal Estado de S.Paulo.

Em relatório um relatório enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), a PF diz que eles cometeram crime de obstrução de Justiça e acrescenta o crime de tráfico de influência ao ex-ministro Aloizio Mercadante.

No mesmo documento também é citado o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Marcelo Navarro Ribeiro Dantas. De acordo com a delação do ex-senador Delcídio do Amaral, a nomeação do ministro teria como objetivo soltar o empresário Marcelo Odebrecht.

Além da delação de Delcídio, compõem as investigações a nomeação de Lula para a Casa Civil e a gravação de uma conversa entre Mercadante e um ex-assessor de Delcídio.

O documento está nas mãos do ministro do STF Edison Fachin. A expectativa é que ele desmembre o processo, já que Lula, Dilma e Mercadante não tem foro privilegiado. Com isso, a parte referente ao ministro do STJ deve continuar no Supremo e o restante deve ser encaminhado para a primeira instância.

A defesa de Lula alega que a acusação não tem fundamento jurídico. A de Dilma insiste que ela não praticou os crimes sugeridos no documento. O advogado do ex-ministro nega tráfico de influência e obstrução da Justiça.

Entenda a Operação Lava Jato