POLÍTICA

Ministro se irrita e assessoria culpa PT por manifestações no Prêmio Camões

O Ministério argumenta que o partido "aparelhou orgãos públicos para desestabilizar o processo democrático".

17/02/2017 15:00 -02 | Atualizado 17/02/2017 18:39 -02

Aconteceu nesta sexta-feira (17) a cerimônia de entrega do Prêmio Camões, o mais importante da literatura em língua portuguesa entregue a cada ano pelos governos de Brasil e Portugal. O homenageado desta edição é o autor Raduan Nassar.

O escritor fez um discurso forte contra o governo de Michel Temer durante a entrega da premiação. Presente à cerimônia, o Ministro da Cultura, Roberto Freire, respondeu às críticas, argumentando que Nassar deveria devolver o prêmio.

Ao expor opiniões contrárias ao governo em exercício, como a indicação de Alexandre de Moraes para o Supremo Tribunal Federal, Nassar foi ovacionado e os presentes gritaram "Fora Temer" em apoio ao homenageado.

Em resposta às manifestações, o Ministério da Cultura publicou uma nota em que responsabiliza o Partido dos Trabalhadores pela situação ocorrida.

De acordo com o Ministério, o PT "aparelhou orgãos públicos" e "planeja ataques para desestabilizar o processo democrático."

O Ministério da Cultura lamenta, mais uma vez, a prática do Partido dos Trabalhadores em aparelhar órgãos públicos e organizar ataques para tentar desestabilizar o processo democrático. Durante a cerimônia de entrega do Prêmio Camões de Literatura, em São Paulo, o ministro da Cultura, Roberto Freire, teve sua fala interrompida por manifestantes partidários, sinal de desrespeito à premiação oficial dos governos de Brasil e Portugal.

Considerada a mais importante distinção da Língua Portuguesa, o prêmio concedeu 100 mil euros (sendo 50 mil euros arcados pelo Ministério da Cultura) ao escritor brasileiro Raduan Nassar.

O agraciado foi respeitado por todos durante sua fala, ao contrário do que ocorreu com o ministro da Cultura, interrompido de forma agressiva. Apesar de ser um adversário político do governo, Raduan recebeu o prêmio, legitimando sua importância. Uma premiação literária com essa dimensão não merecia esse comportamento intolerante de alguns, que tentaram partidarizar o evento.

Assessoria de Comunicação

Ministério da Cultura

Autor de romances de destaque da literatura brasileira, como Lavoura Arcaica e Um copo de cólera, Nassar estava afastado das exposições públicas - seu último conto foi publicado em 1994 e seu último artigo de opinião em 1999.

Porém, durante o processo que desencadeou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, o autor publicou um artigo no jornal Folha de S.Paulo cujo título "Cegueira e linchamento" critica o tratamento dado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva quando foi indicado para a Casa Civil do antigo governo.