POLÍTICA

Justiça Eleitoral pune partidos que não incentivam participação de mulheres

"Penso que o objetivo da lei é acabar com o sistema em que os homens se autointitulam representantes naturais da mulher."

16/02/2017 15:38 BRST | Atualizado 16/02/2017 15:38 BRST
FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL
Os partidos políticos devem “promover e difundir a participação política feminina".

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta quinta-feira (16) punir nove partidos políticos por não terem destinado 10% do seu tempo de propaganda gratuita de rádio e TV para incentivar a participação das mulheres na política, conforme determina uma regra da Lei dos Partidos Políticos.

Os partidos punidos foram PT, PSB, PMDB, PC do B, PR, PSD, PSC, PHS e PRB. Como sanção, as legendas perderão tempo de inserção gratuita em rádio e TV a que teriam direito durante o primeiro semestre de 2017.

O Artigo 45 da Lei dos Partidos (9.096/1995) determina que as legendas devem "promover e difundir a participação política feminina, dedicando às mulheres o tempo que será fixado pelo órgão nacional de direção partidária, observado o mínimo de 10% (dez por cento) do programa e das inserções".

Para o relator das ações que resultaram nas punições, ministro Herman Benjamin, não basta a veiculação de mensagens favoráveis à participação política feminina para que a regra seja cumprida, sendo necessário que as próprias mulheres figurem como protagonistas nas inserções.

Penso que o objetivo da lei é acabar com o sistema em que os homens se autointitulam representantes naturais da mulher. A norma pretende fazer a mulher reconhecer que ela é cidadã igual ao homem, com voz própria para defender seus direitos.

Confira quanto tempo de inserção gratuita em rádio e TV foi perdida pelas legendas punidas:

PRB – 20 minutos

PHS – 10 minutos

PT – 25 minutos

PSB – 20 minutos

PSC – 20 minutos

PMDB – 20 minutos

PC do B – 20 minutos

PR – 20 minutos

PSD – 20 minutos

Os ministros de Temer que caíram