POLÍTICA

Vídeo mostra vereadora do PT partindo pra cima de Holiday

Confusão ocorreu porque, segundo Juliana Cardoso, dois assessores de Holiday invadiram reunião do PT e a agrediram.

11/02/2017 12:57 BRST | Atualizado 12/02/2017 18:04 BRST
Montagem/Facebook

Um debate entre a vereadora Juliana Cardoso (PT) e o vereador Fernando Holiday (DEM), integrante do Movimento Brasil Livre (MBL), terminou em tumulto na Câmara Municipal de São Paulo.

A confusão começou quando a vereadora relatou no plenário que assessores de Holiday xingaram o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e invadiram uma reunião do PT.

Logo, ela foi interrompida pelo presidente da Casa, Milton Leite (DEM). Ele pediu para ela registrar uma queixa na Presidência ou Corregedoria. O líder do PT, Antonio Donato, então, rebateu: "Presidente, é um fato extremamente grave, peço que o senhor suspenda a sessão para encaminhar uma solução imediatamente para esse ataque à democracia".

Gritos de "fascismo aqui dentro não" invadiram o local e Juliana foi em direção a Holiday e passou a acusá-lo de agressão. O vereador disse que as acusações eram "caluniosas".

Segundo a vereadora, o ato foi premeditado.

Lembramos que este episódio não atinge só o meu mandato, trata-se de uma atitude premeditada de coação, constrangimento e agressão física. Trata-se de desrespeito claro a democracia e ao regimento da casa. Se não há resposta das instituições para uma ação clara de profunda agressão, não teremos qualquer liberdade para fazer oposição, o que é inerente ao regime democrático. Ou não estamos mais em um regime democrático?

Holiday, por outro lado, diz que não aceitará "racismo institucionalizado da esquerda brasileira".

Em nota, a Mesa Diretora da Câmara informou que "duas pessoas adentraram uma reunião privada do PT sem a devida autorização. A apuração inicial da PM disse que não houve agressão física mas todos os envolvidos ainda serão ouvidos".

A presidência da Câmara afirmou ainda que "tomará todas as medidas necessárias para resolver o lamentável ocorrido".