MULHERES

Violência doméstica legalizada: Está mais perigoso ser mulher na Rússia

O presidente Vladimir Putin sancionou lei que despenaliza violência doméstica.

08/02/2017 18:22 -02 | Atualizado 08/02/2017 18:41 -02
KatarzynaBialasiewicz via Getty Images
Powerful, violent husband with a belt, horizontal

O presidente Vladimir Putin sancionou na última terça-feira (7) a lei que despenaliza a violência doméstica na Rússia.

Popularizada como a "lei do tapa", a ordem legal prevê que agressões que não causem lesões, apesar da dor física, não serão consideradas crime.

A Justiça russa não vai se responsabilizar pela investigação do caso. O agressor só sera processado se agredir novamente a mesma vítima dentro de um ano e poderá pagar uma multa ou pegar até 3 meses de prisão.

De acordo com os defensores do projeto – conservadores do partido de Vladimir Putin -, as agressões "moderadas" são importantes para a sustentação de valores "tradicionais".

Todos os anos, cerca de 12 mil russas morrem por conta da violência doméstica. No país, há uma expressão que diz que "se ele te bate, é porque ele te ama" que só reforça esse comportamento.

O projeto, elaborado em janeiro, recebeu fortes críticas internacionais e de instituições que defendem os direitos da mulher. Para o Kremilin, não é permitido confundir "conflitos familiares" com "violência doméstica".

"É preciso diferenciar claramente as relações familiares dos casos de reincidência. Se você ler o projeto de lei, se dará conta que os casos de reincidência acarretam sim em responsabilidade penal", argumentou Dmitri Peskov, o porta-voz do Kremlin.