NOTÍCIAS

A consciência tranquila do ex-ministro que abalou o governo Temer

Calero merece meditar!

05/02/2017 11:23 -02 | Atualizado 05/02/2017 11:28 -02

Ex-ministro da Cultura de Michel Temer, o diplomata Marcelo Calero deu exemplo de conduta republicana no ano passado ao não se curvar ao patrimonialismo.

Ele foi pressionado pelo então secretário de governo, o poderoso Geddel Vieira Lima, a reverter decisão do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) de embargar uma obra particular na orla de Salvador (BA). Geddel havia comprado um imóvel avaliado em R$ 2,5 milhões no empreendimento de luxo La Vue Ladeira da Barra.

Após ser procurado 5 vezes por Geddel, Calero decidiu que deveria deixar o governo Temer em novembro do ano passado. O próprio Temer tentou pressioná-lo, de acordo com depoimento do diplomata à Polícia Federal.

Uma situação como essa, de um ministro ligar para outro ministro pedindo interferência em um órgão público para que uma decisão fosse tomada em seu benefício, não é normal e não pode ser vista assim. Não é normal.Marcelo Calero, em entrevista ao Estadão

Para Calero, foi "claramente um caso de corrupção".

A opinião pública ficou ao lado do ex-ministro, e Geddel acabou entregando o cargo uma semana depois de Calero.

Com essa consciência tranquila de quem, como autoridade e servidor público, deve sempre defender o interesse público -- e nunca o privado, o jovem ex-ministro aproveitou este fim de semana para meditar na praia:

Reprodução/Instagram
Calero medita na praia neste sábado (4)

Merecido, né?