NOTÍCIAS

Setor público consolidado tem déficit de R$ 155,8 bilhões em 2016

31/01/2017 12:17 -02 | Atualizado 31/01/2017 18:21 -02
Bloomberg via Getty Images
Michel Temer, president of Brazil, listens during an interview in New York, U.S., on Monday, Sept. 19, 2016. Temer expects significant budget savings only after 2020 from a pension reform proposal he intends to present to Congress before year-end, the country's pension secretary said in an interview. Photographer: Christopher Goodney/Bloomberg via Getty Images

O setor público consolidado (União, estados, municípios e empresas estatais) apresentou um déficit primário de R$ 155,8 bilhões em 2016. O déficit equivale a 2,47% de tudo que o país produziu no ano passado – o Produto Interno Bruto (PIB), soma dos bens e riquezas produzidos por um país -, divulgou nesta terça-feira (31) o Banco Central (BC).

O resultado deficitário é recorde em toda a série histórica do BC, iniciada em 2001. O déficit primário supera o registrado para 2015, de R$ 111,2 bilhões. Em dezembro, houve déficit de R$ 70,7 bilhões do setor público consolidado.

As contas negativas no ano foram puxadas pelo Governo Central (governo federal, Previdência Social e Banco Central - comandados pelo presidente Michel Temer), cujo déficit primário ficou em R$ 159,473 bilhões no ano passado.

Os governos estaduais tiveram superávit de R$ 6,787 bilhões e os municipais, déficit de R$ 2,121 bilhões. As empresas estatais (excluídas Petrobras e Eletrobras) tiveram déficit de R$ 983 milhões.

A meta de déficit primário para 2016, conforme aprovada pelo Congresso Nacional na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), era de R$ 163,9 bilhões.

A dívida bruta do Brasil atingiu 69,5% do PIB em dezembro, caindo um ponto percentual na comparação com o mês de novembro.

LEIA TAMBÉM:

- Apoiado por tucanos e petistas, deputado do DEM deve ser reeleito presidente da Câmara

- Brasil fecha 2016 com a maior taxa de desemprego desde 2012