COMPORTAMENTO

A Prefeitura de Salvador fez um vídeo que ensina a importância do respeito e dos direitos trans

29/01/2017 12:37 -02 | Atualizado 31/01/2017 18:21 -02

“Pois é. Hoje eu estou aqui para me apresentar e para dizer que eu sou um homem trans”.

Você pode até não saber, mas muita gente se pergunta se o estagiário da Prefeitura de Salvador (BA), é homem ou mulher. Em um vídeo institucional lançado pela prefeitura na última sexta-feira (27), ele se apresenta como um homen trans e, de forma educativa, mostra que é necessário respeitar o direito das pessoas transexuais de simplesmente existir.

“Quando eu nasci, me disseram que eu era menina”, conta o narrador. “A questão é que eu não me identificava com o universo feminino, e por conta disso me boicotei por muitos anos, silenciando a minha vivência. Isso não foi legal, e me fez sofrer muito“.

Com um vídeo animado, lúdico e educativo, o vídeo traz dados alarmantes sobre a população transgênero no Brasil. Cerca de 90% das travestis e trans se prostituem porque não conseguem uma colocação no mercado de trabalho e 85% dos homens trans já pensaram em suicídio.

“Hoje sou um homem realizado e, além de estagiário de jornalismo, atuo como pesquisador na área de gênero e diversidade e sou militante da causa LGBT".

O conteúdo do post foi divulgado dois dias antes do Dia Nacional da Visibilidade Trans, comemorado hoje, 29 de janeiro.

Ele finaliza o vídeo com um pedido:

“Precisamos nos comprometer a fazer a diferença. Respeito não é favor, é direito“.

Se você já sofreu ou conhece alguém que está sofrendo LGBTfobia, clique aqui e saiba como denunciar.

LEIA MAIS:

- 'Sem um nome, não existimos', diz João Neri, transexual pioneiro no Brasil

- Esta ativista trans quer 'incomodar os acomodados e tranquilizar os aflitos'