NOTÍCIAS

O muro vira realidade: Trump assina decreto para erguer barreira com o México

25/01/2017 17:42 -02 | Atualizado 25/01/2017 17:42 -02
Montagem / Reuters / Getty Images

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta quarta-feira (25) decreto que determina a construção de um muro na fronteira com o México, uma de suas promessas de campanha.

Ele também assinou um outro decreto para implementar novas políticas de imigração no país.

"Grande dia planejado para a segurança nacional, amanhã", disse Trump em mensagem no Twitter no fim da noite de ontem (24). "Entre muitas outras coisas, vamos construir o muro", acrescentou.

O muro será erguido de forma prioritária nos locais que fazem fronteira com cidades mexicanas, onde as autoridades locais se recusam a entregar aos Estados Unidos imigrantes ilegais para serem deportados e pessoas acusadas de transportar drogas para o mercado americano.

Para o presidente, a imigração está fora de controle e a entrada de potenciais criminosos ameaça a segurança dos Estados Unidos. Um dos decretos também restringe a entrada de imigrantes originários do Iraque, Irã, da Líbia, Somália, do Sudão, da Síria e do Iêmen.

Durante a campanha eleitoral, ele disse repetidamente que o "México pagará" a obra. Afirmou também que os Estados Unidos serão reembolsados pelo México para compensar o dinheiro a ser investido no muro com fundos do contribuinte americano.

Nesta quarta, o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, afirmou que Trump negociará com o Congresso a verba para a construção do muro, mas "mais cedo ou mais tarde" o governo do México compensará esses gastos.

"Construir essa barreira é mais que uma promessa de campanha. É senso comum para proteger nossas fronteiras porosas", disse Spicer. "Há um fluxo de drogas, crime e imigração ilegal para os Estados Unidos", completou.

De acordo com ele, os imigrantes serão tratados "da maneira mais humana possível".

LEIA TAMBÉM

- Madonna contra Trump: 'Esta é a revolução do amor, da recusa desta nova era de tirania'

- O discurso de Angela Davis na 'Marcha das Mulheres' e a resistência contra Trump

- A 'Era Trump' pode ser uma oportunidade para a América