NOTÍCIAS

Senador quer criar comissão no Congresso para investigar morte de Teori Zavascki

20/01/2017 15:47 -02 | Atualizado 20/01/2017 15:47 -02
Montagem / Agência Senado / Agência Brasil

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) protocolou, nesta sexta-feira (20) um requerimento para abertura de uma comissão no Congresso Nacional com o objetivo de investigar a morte do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, morto em um acidente aéreo em Paraty (RJ), nesta quinta-feira (19).

O colegiado acompanharia o trabalho dos órgãos que já iniciaram as investigações. O Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) abriram inquéritos para apurar as causas do acidente. O acidente está sendo investigado também pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão da Aeronáutica.

O senador propõe que a comissão seja mista, ou seja, com integrantes do Senado e da Câmara dos Deputados. Para que o colegiado seja formado, é preciso mobilização dos parlamentares.

Randolfe afirmou que ele e o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) irão entrar em contato com colegas para pedir que os trabalhos comecem o quanto antes. "Pela urgência do caso, acho que seria razoável segunda-feira se reunir e deliberar sobre a constituição da comissão", afirmou ao HuffPost Brasil.

Na avaliação do senador, o fato de Teori ser relator da Lava Jato no STF torna essencial apurar as causas do acidente.

"O principal indicador é a circunstância. Um acidente envolvendo um ministro do Supremo responsável pela investigação do maior caso de corrupção da história do País, envolvendo centenas de políticos e empresários e prestes a ter a delação da Odebrecht homologada exige uma investigação."

A delação da Odebrecht, envolvendo mais de 200 políticos, incluindo o presidente Michel Temer, estava prevista para ser homologada por Teori em fevereiro.

O senador chegou a citar, no Twitter, o histórico de visualizações de dados do avião em que Teori estava, disponível em um site que ser de base de dados de imagens de aeronaves.

Se criada, a comissão será formada a partir da indicação dos partidos, obedecendo o critério de proporcionalidade das bancadas. Randolfe defende a exclusão de alvos da Justiça. "Acho por bem que nenhum senador investigado na Lava Jato integre essa comissão", afirmou.

Dos atuais integrantes da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), colegiado responsável por sabatinar o próximo integrante do Supremo, oito são alvos do maior escândalo de corrupção no País.

Investigações

O Ministério Público Federal em Angra dos Reis solicitou à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e ao Comando da Aeronáutica as gravações das conversas entre a torre de controle e o piloto do avião.

A procuradora da República Cristina Nascimento de Melo, designada como responsável pela investigação em Angra dos Reis, pediu também documentos relativos à manutenção da aeronave, um bimotor modelo Beechcraft C90GT King Air. Agentes e procuradores estão colhendo depoimentos de testemunhas.

Foram resgatados nesta sexta os dois últimos corpos que estavam na fuselagem do avião. Além de Teori, morreram o empresário Carlos Alberto Fernandes Filgueiras, amigo do minsitro; o piloto, Osmar Rodrigues; a massoterapeuta Maira Lidiane Panas Helatczuk e a mãe dela, Maria Hilda Panas.

LEIA TAMBÉM

- Mulheres em acidente com Teori eram massoterapeuta e mãe

- Investigados na Lava Jato vão sabatinar o próximo ministro do STF

- Com morte de Teori, escolha de relator da Lava Jato fica entre Temer e Cármem Lúcia