NOTÍCIAS

Sete presos vão para hospital após violência em cadeia provisória em Manaus

09/01/2017 10:21 -02 | Atualizado 09/01/2017 10:21 -02
REUTERS/Ueslei Marcelino

A situação de violência no sistema penitenciário brasileiro teve mais um episódio neste domingo (8). Sete detentos abrigados na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, precisaram ser hospitalizados na noite de ontem.

Alvo de críticas do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), a penitenciária foi desativada em outubro de 2016 por recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

O local foi reaberto de modo emergencial, como resposta à rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), na semana passada, que deixou 56 mortes, na segunda maior tragédia das cadeias do País.

De acordo com o G1, por volta das 18h30, homens do Batalhão de Choque entraram no presídio após um estrondo. O governo nega qualquer confronto no local.

Ainda de acordo com o site, os presos foram levados aos hospitais João Lúcio e 28 de Agosto, nas Zonas Leste e Centro-Sul de Manaus e retornaram às celas por volta das 22h.

Na madrugada de sábado (7) para domingo, quatro pessoas foram mortas durante uma rebelião na penitenciária. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a movimentação dos presos começou por volta das 1h da manhã, horário local.

Em nota, o governo do Amazonas disse que, após a contagem de presos da tarde, percebeu-se que detentos ainda precisavam de atendimento médico. “Todos tiveram ferimentos e escoriações de natureza leve e após o atendimento serão devolvidos para a unidade prisional”, diz o comunicado.

De acordo com o governo amazonense, os presos iniciaram uma briga de madrugada por motivo desconhecido. Dos quatro mortos confirmados, três foram decapitados e um asfixiado. Parentes dos detentos reclamara da falta de informações nos últimos dias.

Após os novos episódios de violência, o governador do Amazonas, José Melo (Pros), pediu ao governo federal o apoio da Força Nacional de Segurança. O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, vai se reunir no próximo dia 17 com secretários de Assuntos Penitenciários e de Segurança Pública de todos unidades da Federação para discutir ações no sistema prisional.

LEIA TAMBÉM

- Nova rebelião em presídio de Manaus deixa 4 mortos

- Ministro: com aumento de imposto, governo resolve crise prisional

- Secretário de Temer que defendeu mais chacinas em cadeia pede exoneração