NOTÍCIAS

Doria toma posse como prefeito e promete se vestir de gari para limpar São Paulo

01/01/2017 18:23 -02 | Atualizado 01/01/2017 18:23 -02
Brazil Photo Press/CON via Getty Images
SAO PAULO, BRAZIL - DECEMBER 19: Elected Mayor of Sao Paulo Joao Doria Jr. (PSDB) gestures during the graduation ceremony of the candidates elected in municipal elections on December 19, 2016 in Sao Paulo, Brazil. (Photo by Adriana Spaca/BrazilPhotoPress/LatinContent/Getty Images)

O primeiro dia do ano não foi só de ressaca e festa. Hoje é o dia em que os prefeitos eleitos em 2016 tomaram posse em seus cargos pelos próximos quatro anos. Em São Paulo, João Doria (PSDB) assume o lugar do agora ex-prefeito Fernando Haddad (PT). No seu primeiro discurso como prefeito prometeu uma gestão com "atitude" e muita "humildade".

Já no primeiro dia no cargo, Doria prometeu um cuidado extra com a zeladoria da cidade. A partir das 6h, na Avenida Nove de Julho, ele vai inaugurar o programa Cidade Linda. O novo prefeito prometeu se vestir de gari para limpar São Paulo.

"Estaremos às 6h vestidos de gari, sim, como gente simples que serve a cidade e que recebe seu salário para preservar e manter nossa cidade. Vamos ali dar uma demonstração de humildade, de igualdade e de capacidade de trabalho."

doria

Doria também prometeu governar para "todos os paulistanos". "Teremos respeito ao povo de São Paulo que nos elegeu, às vereadoras, aos vereadores, ao vice-prefeito e aos que também não nos elegeram, o mesmo respeito, o mesmo sentimento. Vamos governar para todos em São Paulo", disse o novo prefeito de São Paulo.

Durante seu discurso na Câmara, na tarde deste domingo (1º), Doria repetiu seu jargão de campanha, de que "não é político, e sim gestor". ""Sou gestor. Farei gestão à frente da cidade de São Paulo. No executivo serei um administrador da cidade", afirmou.

Empresário de 59 anos, o tucano foi eleito em primeiro turno com 3,1 milhões de votos (53% dos válidos) e será o 62º prefeito de São Paulo.

Belo Horizonte

O novo prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), tomou posse na tarde deste domingo, juntamente com seu vice Paulo Lamac (Rede). Também foram empossados os 41 vereadores que irão compor a Câmara Municipal pelos próximos quatro anos.

Em seu discurso, ele declarou estar obstinado para cumprir as promessas que apresentou durante a campanha. Kalil fez uma cobrança direta aos novos integrantes do legislativo.

“Governar para quem precisa é governar abrindo mão de cargos, empregos e gastos desnecessários. (…) Todo o dinheiro dessa prefeitura não será canalizado para troca de favores. Então eu peço aos vereadores muito juízo. Todos nós precisamos de muito juízo. Nós vamos reformular a política dessa cidade”, disse.

Curitiba

O prefeito eleito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), fez sua primeira promessa no cargo: cortar 40% dos cargos em comissão e das funções gratificadas da prefeitura curitibana. "A prefeitura está abusivamente inchada e partidária", criticou.

Nos próximos dez dias, Greca prometeu apresentar o balanço da situação financeira de Curitiba. "Ergueremos a cidade acima das dificuldades", disse.

No seu discursos na Câmara de Vereadores, Greca relembrou os problemas de saúde que enfrentou nos últimos dias. "Minha cabeça, e meu coração, que passa bem --ontem tive que tirar um retrato dele-- estará a serviço da causa da cidade", falou, para risos da plateia. No último sábado (31), o prefeito sentiu falta de ar e chegou a ser hospitalizado.

Porto Alegre

O novo prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), tomou posse no final da tarde deste domingo, às 17h, em uma sessão solene na Câmara de Vereadores da cidade. Com a crise financeira do Rio Grande do Sul, Marchezan disse que a capital também passa por dificuldades na área econômica. “Os desafios são gigantescos para transformar Porto Alegre numa cidade melhor para se viver”, disse.

No fim da sessão, questionado, afirmou que existe “um risco grande” de atrasar o pagamento do salário do funcionalismo municipal em 2017.

Eleito com o discurso de enxugar a máquina pública e modernizar a estrutura municipal, Marchezan anunciou a redução de 14 secretarias na administração municipal, passando de 29 para 15. "O nosso objetivo é fazer a prefeitura funcionar para as pessoas e não a partidos políticos ou interesses. Não a eles para que a gente possa dizer sim a todos os portoalegrenses", afirmou.

LEIA TAMBÉM

- No último dia como prefeito, Haddad faz textão no Facebook e recebe abraços de admiradores

- ACM Neto fala sobre sucesso na reeleição em Salvador, Operação Lava Jato, reforma política e relação com o PT

- 'A sociedade não quer saber se é de direita ou esquerda, quer saber da vida real', diz prefeito eleito de Porto Alegre