MULHERES
31/12/2016 12:42 -02

Queniana que bateu recorde na São Silvestre venceu em Londres após machucar a cabeça

ADRIAN DENNIS via Getty Images
TOPSHOT - Gold medalist Kenya's Jemima Jelagat Sumgong poses after the podium ceremony for the Women's Marathon during the athletics event at the Rio 2016 Olympic Games at Sambodromo in Rio de Janeiro on August 14, 2016. / AFP / Adrian DENNIS (Photo credit should read ADRIAN DENNIS/AFP/Getty Images)

Vencedora da prova feminina da São Silvestre neste sábado (31) e nova recordista da prova, a queniana Jemina Sumgong é também cabo da Aeronáutica em seu país.

Neste ano, a corredora de longa distância conquistou a medalha de ouro nos jogos olímpicos e venceu ainda a tradicional maratona de Londres, mesmo após se machucar durante a prova.

Nascida em 1984, Jemina começou a competir internacionalmente em 2004, aos 20 anos, nas categorias 10 km e meia-maratona. Em 2006, fez o melhor da meia-maratona em Trinidad e Tobago. No ano seguinte, estreou nas disputas europeias.

Em 2009, fez uma pausa nos esportes. Passou a servir as Forças Armadas do Quênia e casou-se com o Noah Tallam, com quem teve uma filha dois anos depois.

A queniana retornou às corridas e venceu a Maratona de Castellon, na Espanha, em 2011 e a Maratona de Roterdã em 2013, quando quebrou sua marca pessoal em mais de seis minutos.

Continuou nas disputas e foi selecionada para representar seu país na disputa do Campeonato Mundial de Atletismo de Pequim 2015. A atleta ficou em quarto lugar na prova por sete segundos de diferença com a primeira colocada, a etíope Mare Dibaba.

Em abril de 2016, caiu perto de uma bancada de fornecimento de água na Maratona de Londres. A maratonista machucou a cabeça, mas conseguiu vencer a disputa, o que garantiu um lugar na equipe da Rio 2016.

Nos jogos olímpicos, finalizou a prova com 2 horas, 24 minutos e 2 segundos e conquistou o título de primeira queniana a levar o ouro para casa nesta categoria. Ela se tornou também a terceira maratonista olímpica mais rápida.

"É como um sonho para mim ser a primeira mulher a ganhar o ouro para o meu país", disse à época.

Após voltar para casa, foi promovida a cabo pelo comando da Aeronáutica.

Recorde

Os 15 km da 92ª São Silvestre foram completados por Jemina em 48 minutos e 35 segundos. Uma das favoritas na prova, junto com a etíope Ymer Ayalew, vencedora da corrida nos últimos dois anos, a queniana manteve vantagem ao longo do percurso.

Uma brasileira não vence a prova deste 2006, quando Lucélia de Oliveira conquistou o título. Neste ano, o melhor desempenho entre as atletas do País foi de Tatiele de Carvalho, que ficou em sétimo lugar.

LEIA TAMBÉM

- O que o esporte nos ensinou em 2016 e aquilo que jamais aprenderemos

- Phelps, 28 medalhas olímpicas, se aposentou. O motivo? Ser um bom pai

- Como a Mulher-Maravilha se tornou um símbolo feminista