NOTÍCIAS

Grover não sabia o que era o amor. Adotado, hoje ele viaja o mundo inspirando crianças

31/12/2016 13:24 -02

grover mcbane

Este da direita é Grover McBane. Ele é um border collie de Sydney, Austrália, e tem uma missão.

O começo da vida de Grover não foi nada fácil. Até ser adotado por novos humanos, ele era maltratado pelo antigo dono e não sabia o que era o amor. Depois de recuperado, Grover tornou-se um símbolo dos cães resgatados e agora tem até mesmo um contrato para lançar mais um livro – três já estão nas livrarias e outros dois vêm por aí no ano que vem.

Grover hoje viaja pela Austrália ensinando a crianças (e adultos) uma lição valiosa sobre amor, compreensão e resiliência.

A preparação para a turnê em Melbourne inclui um dia no spa canino... Sejam sinceros, pelo meu focinho não parece que estou anos mais novo?

O The Huffington Post Austrália conversou com Grover antes de uma turnê de autógrafos em Melbourne.

Fale sobre seu passado.

Infelicidade é uma boa palavra para descrever minha vida antiga. Infelizmente, tinha um dono, O Homem de Botas Grandes, que não tinha tempo para cuidar de um cachorro e não me amava. Ele era um homem mau, que me mantinha acorrentado do lado de fora, até mesmo na chuva. Ele sempre esquecia de me dar comida e nunca me acariciava.

Às vezes me pergunto por que ele era tão malvado comigo, mas aprendi muitas coisas desde então, e agora meus novos humanos, Claire e Andrew, me ensinaram o que são a família e o amor verdadeiro.

Depois de fugir do quintal, fui resgatado e levado para o abrigo Sydney Dogs and Cats Home. Claire foi uma das primeiras humanas que conheci. Estava com tanto medo naquele dia. Achava que todos os humanos eram maus como o Homem de Botas Grandes. Mas estava completamente enganado!

Claire foi muito gentil comigo e, quando me abraçou pela primeira vez, me senti seguro. Soube que ela me amava desde o primeiro dia.

Claire e Andrew ajudaram na minha recuperação. Eles me deram banhos para aliviar a coceira e as feridas na minha pele (apesar de eu odiar banhos, admito que isso ajudou muito!)

Eles também me alimentaram todos os dias e me deram muito amor e afeição. Fui para todo tipo de lugar com Claire e Andrew, e eles me apresentavam para as pessoas como se eu fosse o melhor cachorro do mundo. Não demorou para eu perceber que podia confiar neles e amá-los, também.

👆🏼Chief Gardener/Freshly-planted-rosemary-muncher 🌱 #helping #FreshBreath

Uma foto publicada por GroverMcBane (@grovermcbane) em

Jardineiro-chefe/Comedor-de-alecrim-recém-plantado

Como sua vida mudou desde o dia em que você foi resgatado?

Bom, agora eu tenho um emprego! Sou o Cachorro do Escritório do Sydney Dogs and Cats Home, o abrigo que me resgatou. Estou sempre ocupado, cachorros chegam todos os dias.

Alguns estão com muito medo, e outros, muito doentes. Deixo que eles entrem no escritório e os ajudo a se sentir seguros. Às vezes eles foram maltratados por humanos, então digo para eles que tudo vai ficar bem e que eles também terão uma segunda chance. Eles adoram ouvir isso.

É um trabalho incrível. Também como muito frango nessa nova vida... e de vez em quando uma batata também (quem diria que elas são tão deliciosas?!)

"Excuse me ma'm, but is that a puppacino?" #SharingIsCaring #CoffeeTime

Uma foto publicada por GroverMcBane (@grovermcbane) em

Com licença senhora, isso é um cãopuccino?

Como surgiu o contrato do livro?

Encontramos muita gente quando vamos a cafés e restaurantes, e as pessoas sempre fazem perguntas sobre mim – especialmente quando tinha acabado de ser resgatado e ainda não estava 100% saudável.

Minha história deixou muita gente com lágrimas nos olhos – e quase sempre rendeu uns petiscos extra! Claire percebeu que as pessoas tinham muita empatia pela minha história e que ela merecia ser contada para mais gente.

Um café e um papo com um editor nos mostraram que não havia nenhuma história parecida com a minha. Uma série para crianças, baseada nas aventuras reais de um cão resgatado – sabíamos que as crianças iriam adorar!

Quando você sai para a rua e descobre que o piso ainda está completamente molhado e o parque parece mais uma piscina.

Você já tem três livros – parabéns! Qual é o objetivo desses livros?

Com os livros e com as visitas a escolas, espero que as crianças se conectem com algo e me considerem um amigo. Todo mundo já passou pela situação de não ter com quem brincar, todo mundo já se sentiu pouco amado um dia. Todo mundo tem falhas.

Meus livros têm muitos temas – lidar com mudanças e incertezas, medo do desconhecido, negligência –, mas, no fim das contas, o que importa é ser resiliente. Meu começo foi difícil, mas superei tudo, com a ajuda das pessoas à minha volta. Claire era professora da escola primária e entendia que o conceito de resiliência seria muito importante para as crianças.

Quem sabe, talvez resiliência seja uma maneira diferente de dizer “final feliz”.

Também espero que minhas histórias e todos os cães resgatados da vida real incentivem as crianças e adultos a adotar um bicho de estimação. Há muitos animais incríveis esperando uma segunda chance.

Drum roll pah-lease... My 3rd book in the #GroverMcBane series has officially hit the shelves! 🙌🏻📚👆🏼 This story is titled Grover, Benji and Nana Jean, and tells the REAL-LIFE story of a very special little rescue dog named Benji. Benji arrived at @sydneydogsandcatshome in need of special care, and a very special new home - after meeting him, we quickly discovered that Benji was blind. #BlindAsABat In one of my hardest tasks to date, I found myself having to find the perfect forever home for this special wee man... Soo, did I manage to do it? 🤔 You'll have to read my book to find out! 😝 You can order your copy via the link in my bio, or pop into your local bookshop! (Every book sold in the #GroverMcBane series helps to support the fabulous work of @sydneydogsandcatshome so they can save more dogs like Benji and me! Tell all your friends... Christmas is just around the corner you know 😉 #PresentsSorted ) #GroverBenjiAndNanaJean #EveryDogDeservesAHome

Uma foto publicada por GroverMcBane (@grovermcbane) em

Que rufem os tambores... Meu terceiro livro da série #GroverMcBane está nas livrarias. Essa história se chama Grover, Benji e Nana Jean e conta a HISTÓRIA REAL de um cachorro resgatado chamado Benji. Benji chegou ao @sydneydogsandcatshome precisando de cuidados especiais e uma casa nova – depois de conhecê-lo, rapidamente descobrimos que Benji era cego.

Em uma das minhas tarefas mais difíceis, tive de encontrar a casa perfeita para esse cãozinho especial. Será que consegui? Você vai ter de ler meu livro para descobrir! Você pode encomendar o seu pelo link na minha bio ou então ir à livraria mais próxima. (Todos os livros da série ajudam a apoiar o trabalho incrível do @sydneydogsandcatshome, para que eles salvem mais cães como Benji e eu! Conte para seus amigos... O Natal vem aí.

O que você gostaria que o mundo soubesse sobre animais resgatados?

Que eles são os melhores bichos de estimação! Há uma ideia errada de que abrigos só têm animais velhos ou difíceis, que ninguém queria mais. Mas isso não é verdade. No Sydney Dogs and Cats Home vemos animais de todas as idades e raças – de filhotes a bichos mais velhos, de raças puras a misturados.

Sempre fico frustrado quando ouço as pessoas dizendo que você não deveria ser adotado “porque nunca se sabe o que é aquele animal”. Te digo: é um animal que será sempre grato a você!

Infelizmente, muitos bichos vão parar em abrigos por culpa dos donos. A maioria dos animais no Sydney Dogs and Cats Home são resultado de um relacionamento que terminou, de donos que se mudaram para outro país ou para casas e prédios em que bichos de estimação não são permitidos.

Há muitos cães e gatos cheios de amor, de todo tamanho, raça e idade, esperando a segunda chance perfeita. Claire também me diz que não há nada como a sensação de salvar uma vida, então não entendo por que alguém não procuraria a adoção como primeira alternativa.

LEIA MAIS:

- A incrível transformação de Bitty, cachorro resgatado no esgoto

- Infância vulnerável não impede equilíbrio na vida adulta, mostra estudo realizado por 60 anos

- Resiliência