NOTÍCIAS

'Morreu dando a vida para outro', diz viúva de vendedor ambulante assassinado no metrô em SP

28/12/2016 17:52 -02
Arquivo Pessoal

A viúva do vendedor ambulante Luiz Carlos Ruas, Maria Souza Santos, compareceu nesta quarta-feira (28) à Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom).

O suspeito de praticar o assassinato, Ricardo Martins do Nascimento, de 21 anos, foi preso e 14 testemunhas, incluindo duas travestis e um funcionário da bilheteria do metrô, foram convocadas para fazer o reconhecimento.

“Foi um abalo total. Ele era maravilhoso, tanto que morreu dando a vida para o outro”, disse a viúva.

“Quero que ele [Ricardo] pague pelo que fez. Tem uma família chorando, ele me deixou sozinha no mundo. Ele [Ruas] não merecia morrer do jeito que ele morreu, o rosto dele estava todo estourado, eu não tive coragem de ver”, lamentou. “Eu quero perguntar para o cara [Ricardo] porque ele fez isso com uma pessoa tão boa”, disse.

A irmã da vítima, Maria de Fátima Ruas, disse que o irmão estava trabalhando no domingo de Natal (25) para pagar o imposto do carro, que estava retido. “Eu não estou aguentando, não estou suportando de dor, meu coração está sangrando. Vamos fazer justiça”, disse.

Mais cedo, Ricardo lamentou o ocorrido e disse que se pudesse faria algo para ajudar a viúva do ambulante. “Eu não sou má pessoa”, disse. O acusado foi preso às 21h de ontem (27) na casa de um amigo em uma favela do município de Itupeva, região de Campinas.

Alípio Rogério Belo dos Santos, segundo suspeito de matar Ruas, foi localizado pela Polícia Civil em Itaquera, na zona leste de São Paulo, por meio de uma denúncia feita ao Departamento Estadual de Capturas e Delegacias Especializadas (Decade) no começo da tarde desta quarta.

Rogerio Marques, delegado titular da Delpom, confirmou que Alípio foi preso após uma denúncia anônima, mas não comentou sobre a recompensa de R$ 50 mil que a Secretaria de Segurança Pública teria oferecido por informações sobre o paradeiro dos dois agressores.

Segundo o delegado, Alípio disse estar arrependido, “que foi uma agressão boba porque ele estava bêbado”.

Se condenados, Alípio e Ricardo devem responder pelos crimes de homicidio qualificado e lesão corporal.

Crime

Luiz Carlos Ruas foi espancado e morto às 22h25 de domingo, noite de Natal. Segundo testemunhas, o ambulante vendia salgados e refrigerantes do lado de fora da estação quando dois homens se desentenderam com ele e passaram a agredi-lo. O ambulante defendia moradores de rua, incluindo duas travestis, que também foram agredidas pelos dois suspeitos.

O vendedor tentou correr até a bilheteria da estação na Estação Pedro II do metrô, mas foi atingido por vários golpes e caiu no local. Ele foi socorrido e levado a um hospital por agentes de segurança do Metrô e não resistiu aos ferimentos.

(Com informações da Agência Brasil)

LEIA MAIS:

- Desculpe, Luis! Nós não aprendemos nada com 2016

- Suspeitos de matar ambulante em SP 'agiram em legítima defesa', diz advogado

- 'Não podemos desanimar', diz padre Julio Lancelotti em ato por morte de vendedor no metrô