NOTÍCIAS

Mais uma tragédia no esporte: O que sabemos sobre o naufrágio com o time de Uganda

27/12/2016 17:30 BRST | Atualizado 27/12/2016 17:30 BRST
- via Getty Images
Survivors of a boat accident come back ashore on Lake Albert, on December 26, 2016 in Buliisa, after at least 30 Ugandan members of a village football team and their fans drowned when their boat capsized on Lake Albert during a party. Police officers working with local fishermen managed to rescue 15 of the revellers, who were heading from the village of Kaweibanda in the western Buliisa District to watch a friendly Christmas Day match in Hoima District, Rutagira said. / AFP / - (Photo credit should read -/AFP/Getty Images)

Pelo menos 30 jogadores de um time de Uganda morreram depois que um barco que carregava atletas e torcedores afundou no lago Albert, em Uganda.

Segundo a BBC, o barco estava superlotado e afundou após muitos passageiros irem para o mesmo lado da embarcação. Pelo menos 45 pessoas estavam a bordo.

De acordo com relatos, pelo menos 15 pessoas foram resgatadas com vida da cena do acidente. Segundo a agência de notícias AFP, no momento do acidente o clima no barco era de festa, afirmou o comandante da polícia, John Rutagira.

Por conta do clima de celebração, a polícia também trabalha com a possibilidade de que alguns passageiros estivessem alcoolizados quando o barco virou, fator que teria colaborado para aumentar o número de vítimas da tragédia.

Ainda segundo Rutagira, a equipe ia do distrito de Buliisa District para Hoima Distric para disputar um amistoso natalino. De acordo com agência turca de notícias Anadolu, a embarcação deveria levar no máximo 18 pessoas.

Os acidentes envolvendo barcos são frequentes no país. Normalmente as embarcações que navegam nos lagos de Uganda são antigas, nem sempre contam com coletes salva-vidas e, frequentemente, viajam superlotadas. Na semana passada, cerca de 20 pessoas morreram em circunstâncias semelhantes no lago Victoria.

Um dos maiores lagos da África, o lago Albert já foi palco de outras tragédias: Em 2015, mais de 250 refugiados morreram em um naufrágio, enquanto tentavam retornar para o Congo.

LEIA MAIS:

- No Natal sem muros de alguns brasileiros, o convívio com refugiados foi um presente

- Não foi terrorismo: Rússia busca causas para queda de avião

- A mensagem de Natal de Papa Francisco é pedido de paz em meio à guerra