MULHERES

No 'Masterchef - A reunião' quem roubou a cena foi Ana Paula Padrão

21/12/2016 12:56 -02 | Atualizado 21/12/2016 12:56 -02

Parece que o que marcou mesmo a primeira edição do MasterChef - Profissionais não foram os pratos.

Em meio a relações conturbadas entre os participantes, episódios de machismo e um resultado que gerou polêmica, na noite desta terça-feira (20), a Band colocou todos os ex-participantes do reality cara a cara para uma espécie de “lavação de roupa suja”.

E a temperatura esquentou no programa e também no Twitter.

Na conversa guiada por Ana Paula Padrão e críticos gastronômicos, Marcelo e Ivo insistiram que não é correto considerar uma série de episódios retratados no programa, como aquele em que Ivo mandou Dayse varrer o chão, como machistas.

A discussão com Marcelo começou quando Ana Paula relembrou o momento em que Ivo mandou Dayse varrer o chão e perguntou se ele era machista.

"Gente do céu... imagina, de jeito nenhum. Não. Não sou machista, jamais", respondeu Ivo.

"O que é isso aí? Preconceito?", respondeu Ana Paula.

Após a explicação de Ivo, Marcelo questionou a edição do programa ao relembrar uma frase de Fádia na mesma prova:

"Falei: 'A Fádia vai desossar', e o que ela falou? 'Dois homens e eu que fiz'. Então ela vai fazer porque é mulher e vai para cima, e simplesmente inverteram com ela falando 'Dois homens e eu que fiz'? Onde está o lado do feminismo e do machismo?".

E Ana Paula foi obrigada a explicar o básico:

Marcelo, insatisfeito com a explicação, retrucou dizendo que mulheres não devem se vitimizar:

"Ou seja, você dar para ela e ela falar 'Dois homens e eu que tenho que fazer o serviço pesado', então não tem comparação de nível. A mulher tem que situar um nível de igualdade. A partir do momento em que se faz inferior, ela está fazendo a própria vítima da história".

Ana Paula tentou explicar mais uma vez, mas foi interrompida por Marcelo, que disse:

"Infelizmente, a gente vive um mundo em que todo mundo assimila que tudo é machista. Aposto que o Ivo pegaria a vassoura e mandaria para mim. Eu, quando perdi meu pai, infelizmente, voltei para trabalhar e o chefe botou o dedo na minha cara e falou que eu era um m..., e não porque sou homem ou mulher, mas a profissão exige essa pressão, essa parte forte. Cozinha é isso, não vai mudar".

De novo Ana Paula tentou falar, mas não conseguiu, e disse:

"Deixa eu terminar de falar, Marcelo, por favor! Ele não disse 'Marcelo, vá varrer o chão', 'Dário, vá varrer o chão'. Nós estamos discutindo uma coisa que aconteceu. Ele poderia ter dito isso para um homem? Não sei, mas ele não disse. Ele disse para uma mulher. Eu não estou considerando isso. O público considerou isso um episódio de machismo".

Marcelo terminou o desabafo falando que explorar "o lado machista em uma competição é pesado, desnecessário".

Já a campeã Dayse colocou panos quentes e disse que não se ofendeu com a ordem de Ivo:

"O pessoal que está em casa não entende a pressão que a gente passa aqui. Aqui é muito mais pressão do que em uma cozinha normal. O psicológico, câmera. De verdade, não fiquei nada ofendida com isso, tanto que vocês viram que não fiz nada. Está tranquilo. Acho que essa colocação que ele fez só foi uma frase mal colocada, mas tudo bem".

Dayse, vencedora da primeira versão 'Profissionais' do reality, foi alvo de episódios de preconceito ao longo do programa. A chef paulista esteve diversas vezes no epicentro do machismo reproduzido por seus colegas de competição.

A presença dela já foi negligenciada por colegas de grupo em provas. Ela também foi considerada a "menos perigosa" pelos outros participantes – você pode ver essas cenas neste vídeo:

Dayse não foi a única mulher da competição a se queixar sobre o assunto. Fádia Cheiato, Priscylla Luswarghi e Izabela Dolabela, também ficaram indignadas com o machismo no programa e comentaram que as coisas não são diferentes no mercado da gastronomia de maneira geral.

Em outro momento, Dário rebateu um tweet de um telespectador criticando a postura do chef de se julgar melhor do que Dayse:

"Em nenhum momento eu falei que era melhor do que ela", disse. "Onde está o erro de interpretação?", questionou Ana Paula. "Na minha opinião, é como a edição colocou".

Ana Paula retrucou:

"Ah, o problema é da edição? Quantas vezes perguntei quem iria sair e vocês diziam quem era a mais fraca? E o problema é a edição?"

Dário tentou justificar dizendo que o programa queria chefs criativos e Dayse era mais tradicional.

E Dayse ainda completou:

A apresentadora, irritada, disse que o participante mentiu duas vezes:

"A palavra que sempre é usada é 'talentoso', nunca usamos uma palavra diferente dessa. Se é clássico ou moderno, jovem ou velho, homem ou mulher, religioso ou ateu, não faz a menor diferença, a diferença é o talento".

E continuou:

"Uma coisa é ponto de vista e outra é uma acusação grave com o programa. Você diz que a edição distorceu isso. Não distorceu não. Eu não estaria aqui, com 30 anos de jornalismo nas costas, para fazer um programa que distorce coisas na edição. Não faz parte da minha história, não quero isso para mim. Agora, vocês falam com o microfone aberto porque vocês querem. Para você se tornar uma pessoa pública, você tem que estar aberto a críticas"

E já temos a eleita "estrela" da noite:

Você pode assistir ao momento da discussão neste vídeo:

E neste:

LEIA MAIS:

- Em 2017, Paola Carosella, do ‘MasterChef', vai ter um programa só dela

- 'MasterChef': Marcelo diz em entrevista que 'brasileiro gosta de fracos e oprimidos'