NOTÍCIAS

Senado aprova projeto e usuários de Netflix e Spotify terão de pagar imposto

14/12/2016 19:42 -02 | Atualizado 14/12/2016 19:42 -02
Reprodução / Twitter

O Senado aprovou nesta quarta-feira (14) um projeto de lei que inclui aplicativos como Spotify e Netflix na lista de serviços tributáveis com alíquota de 2%, com o Imposto Sobre Serviços (ISS). O tributo é de competência dos municípios e do Distrito Federal.

O substitutivo do senador Cidinho Santos (PR-MT) a um projeto de lei da Câmara (SCD 15/2015) foi aprovado por 63 votos a três.

O texto segue agora para ser sancionado pelo presidente Michel Temer. A mudança entrará em vigor a partir de 90 dias após a publicação da sanção no Diário Oficial da União.

O projeto prevê que a “disponibilização, sem cessão definitiva, de conteúdos de áudio, vídeo, imagem e texto por meio da internet” terão incidência de ISS. O imposto, no entanto, não incidirá em livros, jornais e periódicos disponibilizados pela internet.

A medida contribui para as contas dos municípios brasileiros. No caso de aplicativos como Spotify e Neflix, os impostos serão recolhidos no local de origem do prestador de serviços.

O texto estabeleceu também que o ISS será recolhido no local em que reside a pessoa que contratar serviços como operações com cartão de crédito ou débito, arrendamento mercantil e planos de saúde e de assistência de medicina veterinária, motivo de guerra fiscal atualmente.

LEIA TAMBÉM

- Regra que autoriza cobrança de bagagem pelas aéreas é ilegal, diz MPF

- ONU teme retrocesso no combate à pobreza no Brasil

- Carro compartilhado por passageiro não é para flerte ou paquera, alerta Uber