NOTÍCIAS

60% dos brasileiros são contra 'PEC do Teto'. E para 62%, projeto trará prejuízos, aponta Datafolha

13/12/2016 10:40 -02 | Atualizado 13/12/2016 10:40 -02

michel temer

A onda de reprovação de Michel Temer chega às suas pautas políticas. Segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira (13), 60% dos brasileiros são contra a aprovação da chamada PEC do Teto, que cria um limite para os investimentos públicos para os próximos 20 anos. A emenda deve ser votada em segundo turno nesta terça (13) no Senado.

A maior rejeição à PEC está concentrada entre aqueles com as menores faixas de renda. 60% daqueles que recebem até dois salários mínimos (R$ 1.670) são contrários à emenda, enquanto 62% de quem ganha entre dois e cinco salários mínimos (até R$ 4.400) rejeitam a proposta.

Na outra ponta, a PEC encontra maior abrigo entre os mais ricos: 35% dos brasileiros com vencimentos superiores a cinco salários mínimos (a partir de R$ 5.280).

A PEC também é menos popular entre aqueles com maior instrução formal de ensino. Entre os brasileiros com ensino superior completo, 68% rejeitam a emenda. Entre os brasileiros com ensino fundamental, a rejeição é de 51%.

Encaminhada pelo governo do presidente Michel Temer ao Congresso com o objetivo de conter o gasto público, a PEC é polêmica e divide os senadores. Segundo os apoiadores da medida, o teto de gastos por 20 anos é necessário para o ajuste fiscal e não vai prejudicar os gastos sociais.

Para a oposição, a PEC vai impedir investimentos públicos, agravar a recessão e prejudicar principalmente os mais pobres, ao diminuir recursos para áreas como educação e saúde.

Segundo o Datafolha, foram entrevistadas 2.828 pessoas, entre 7 e 8 de dezembro, antes que as delações da Odebrecht que citam o presidente viessem à tonta.

Votação está marcada para esta terça

O Senado Federal deve concluir nesta terça-feira (13) a votação da Proposta de Emenda à Constituição do Teto de Gastos (PEC 55/2016), que limita o aumento dos gastos públicos à variação da inflação pelos próximos 20 anos. O texto foi aprovado em primeiro turno em 29 de novembro, por 61 votos a 14. Caso seja aprovada em segundo turno, deverá ser promulgada na quinta-feira (15).

Parlamentares de oposição anunciaram que pretendem recorrer a todos os dispositivos regimentais para obstruir a votação. Além disso, a oposição anunciou já ter ingressado com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal para suspender a votação da PEC do Teto de Gastos.

A base do governo, por sua vez, promete se empenhar pela conclusão da votação ainda hoje para permitir a promulgação da matéria antes do recesso parlamentar do final de ano.

Com informações da Agência Brasil