ENTRETENIMENTO

'Último Tango em Paris': Almodóvar defende Bertolucci em polêmica sobre cena de estupro

12/12/2016 17:44 -02 | Atualizado 12/12/2016 17:44 -02
Brent N. Clarke via Getty Images
NEW YORK, NY - DECEMBER 02: Director Pedro Almodovar discusses his latest film 'Julieta' at Apple Store Soho on December 2, 2016 in New York City. (Photo by Brent N. Clarke/WireImage)

O cineasta espanhol Pedro Almodóvar disse lamentar que a discussão sobre a cena não consensual de estupro do filme O Último Tango em Paris (1972), dirigido por Bernardo Bertolucci, tenha sido marcada principalmente pelo "sensacionalismo".

Almodóvar, presente na cerimônia do European Film Awards no último sábado (10), na Polônia, defendeu o colega, que disse recentemente que tudo não passa de um "ridículo mal-entendido".

Na controversa cena, o personagem de Marlon Brando (1924-2004) estupra a personagem de Maria Schneider (1952-2011), após usar manteiga como lubrificante. Àquela época, Brando tinha 48 anos, e Schneider, 19.

"Tenho certeza de que o roteiro era bem conhecido e estava combinado", disse Almodóvar. "São acusações que, tanto tempo depois, já não têm importância."

Entenda

No início deste mês, a ELLE dos Estados Unidos resgatou um vídeo de 2013 no qual o próprio Bertolucci admite que a cena não estava no script do filme – e tanto ator quanto diretor omitiram a informação da atriz.

"Queria sua reação como mulher, não como atriz. (...) Eu queria que ela se sentisse humilhada", disse o cineasta.

Schneider afirmou ao Daily Mail em 2007: "Eu me senti humilhada e, honestamente, um pouco estuprada, tanto por Marlon quanto por Bertolucci".

LEIA MAIS:

- Bertolucci diz que polêmica sobre estupro em 'Último Tango em Paris' é 'ridículo mal-entendido'

- 'Indesculpável' e 'Nojento': Hollywood reage à declaração de Bertolucci sobre cena de estupro

- Bernardo Bertolucci admite estupro em cena de 'Último Tango em Paris'