NOTÍCIAS

Para comandante do Exército, 'malucos' defendem intervenção militar

11/12/2016 16:26 -02 | Atualizado 11/12/2016 16:26 -02
Montagem/Estadão Conteúdo e Facebook

Em entrevista ao Estadão, o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, afirmou que não há nenhuma chance de intervenção militar no país, mesmo diante de um cenário de crise institucional.

Villas Bôas contou à jornalista Eliane Cantanhêde que, eventualmente, "tresloucados" ou "malucos" pedem a ele que o Exército assuma o poder no Brasil.

“Esses tresloucados, esses malucos vêm procurar a gente aqui e perguntam: ‘Até quando as Forças Armadas vão deixar o País afundando? Cadê a responsabilidade das Forças Armadas?’”

Durante a conversa, o general citou o artigo 142 da Constituição Brasileira, que fala sobre a "autoridade suprema do Presidente da República" em relação às Forças Armadas, e disse que militares na ativa e na reserva estão "escaldados" pelo Golpe de 1964, que submeteu o país a mais de 20 anos de ditadura.

Ele contou ainda que se reuniu com o presidente Michel Temer e com o ministro da Defesa, Raul Jungmann para discutir a situação de "instabilidade" do país.

Leia a íntegra da entrevista aqui.

LEIA MAIS:

- Intervencionista explica confusão de bandeira do Japão com símbolo comunista

- Para intervencionista, homenagem ao Japão é nova bandeira comunista do Brasil

- Intervencionistas quebram vidro e invadem plenário da Câmara dos Deputados