MULHERES

Lady Gaga fala pela 1ª vez de sua batalha com o transtorno de estresse pós-traumático

06/12/2016 15:33 -02 | Atualizado 06/12/2016 15:33 -02
Anthony Harvey via Getty Images
LONDON, ENGLAND - DECEMBER 05: Lady Gaga attends The Fashion Awards 2016 on December 5, 2016 in London, United Kingdom. (Photo by Anthony Harvey/Getty Images)

Apesar de serem figuras públicas, muitas vezes os astros que adoramos enfrentam - e superam - batalhas anônimas. Com Lady Gaga não é diferente.

A musa do pop falou sobre o transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) que enfrenta desde que foi abusada, aos 19 anos, em entrevista ao Today, na última segunda-feira (5).

Hoje com 30, a cantora compartilhou sobre a violência sexual sofrida quase dez anos depois do acontecimento, em entrevista ao programa The Howard Stern Show em 2014.

Na época, ela argumentou que não gostaria de ser "definida" como "a cantora que sofreu um abuso" e caracterizou a violência como "terrível".

Também disse que só era capaz de sorrir novamente porque havia procurado por ajuda e passado por processos de terapias mental e emocional ao longo dos anos.

Na entrevista mais recente ao Today, ela afirmou que nunca antes tinha falado sobre o estresse pós-traumático.

"Eu sofro de uma doença mental - eu sofro de transtorno de estresse pós-traumático. Eu nunca contei isso a ninguém antes, então aqui estamos nós."

A cantora abordou o assunto quando respondia sobre uma visita que fez em novembro a um abrigo para sem tetos e jovens LGBT em Nova York.

Para ela, tanto a sua situação, quanto a das pessoas que ela encontrou no abrigo, só são superadas com carinho e empatia. Gaga encorajou as outras pessoas a dedicarem parte do seu tempo para contribuir com estes cuidados.

"A bondade que foi mostrada para mim pelos meus médicos, assim como a minha família e meus amigos, realmente salvou minha vida. Estive procurando maneiras de me curar, e descobri que a empatia é a melhor maneira. Essas crianças não são apenas desabrigadas ou necessitadas. Muitos deles são sobreviventes de algum trauma. Eles foram rejeitados de alguma forma. Eu não sou melhor do que qualquer uma dessas crianças. E eu não sou pior do que qualquer uma delas. Nós somos iguais. Ambos caminhamos com nossos dois pés na mesma terra. E nós estamos nisto juntos."

No Twitter, Gaga recebeu o apoio dos fãs e muitos comentários daqueles que enfrentam o mesmo transtorno e se identificaram com a fala dela.

O estresse pós-traumático não é uma situação enfrentada apenas pelos "veteranos de guerras", mas também por muitas pessoas que já passaram por momentos de grande desgaste emocional.

Apesar de ser uma condição complexa, há muitas coisas que podem ser feitas para melhorar a situação de quem lida com TEPT.

A primeira delas é procurar ajuda de profissionais. Depois, é preciso desconstruir os estereótipos e encorajar as pessoas a buscar tratamentos adequados, que variam de pessoa para a pessoa.

LEIA MAIS:

- Um relato do 'Humans of New York' definiu os benefícios da terapia com perfeição

- 11 coisas que as pessoas com estresse pós-traumático querem que você saiba