NOTÍCIAS

Com delação da Odebrecht e economia fraca, Temer teme ser alvo de próximos protestos

05/12/2016 10:31 -02 | Atualizado 05/12/2016 10:31 -02
EVARISTO SA via Getty Images
Brazilian President Michel attends the presentation of the Brazil Merit Award for Public Management at the Brazilian Court of Audit in Brasilia on November 29, 2016. A Brazilian opposition party on Monday filed a petition for the impeachment of President Michel Temer, underlining the growing difficulties facing the center-right leader as he tries to introduce austerity reforms. The impeachment demand filed by the PSOL, a small leftist party, was unlikely to be accepted, so had mostly symbolic significance. The PSOL argues that Temer committed crimes by allegedly interfering in a business dispute to aid a friend in his cabinet. Temer denies any wrongdoing in the affair. / AFP / EVARISTO SA (Photo credit should read EVARISTO SA/AFP/Getty Images)

Passado despercebido nos protestos de ontem (4), os quais escolheram o presidente do Senado Renan Calheiros e a Câmara dos Deputados como principais alvos, o presidente Michel Temer e sua equipe sabem que o Planalto poderá ser tema de atos futuros.

Além da economia não ter mostrado melhora e de partidos apostarem em uma "tempestade perfeita" contra Temer, o presidente se prepara para a delação de mais de 70 pessoas ligadas à Odebrecht. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, além do próprio presidente, a delação deverá citar ao menos mais sete ministros de seu governo.

Temer, inclusive, já sabe os nomes que devem aparecer na delação, afirmou o jornal. Mas ele não deve afasta-los antes da homologação dos acordos. O presidente deve agir igual em casos semelhantes: aguardar a bomba estourar para o lado do ministro, e depois descarta-lo.

O problema desta estratégia é tornar seu governo mais insustentável e enfurecer as ruas, que já se mostraram impiedosas com os últimos escândalos de corrupção.

Ontem o Planalto divulgou uma nota na qual informou que os poderes devem ficar "atentos às reivindicações da população brasileira". A nota também elogiou a manifestação pacífica. “A força e a vitalidade de nossa democracia foram demonstradas mais uma vez, neste domingo, nas manifestações ocorridas em diversas cidades do país."

"Milhares de cidadãos expressaram suas ideias de forma pacífica e ordeira. Esse comportamento exemplar demonstra o respeito cívico que fortalece ainda mais nossas instituições. É preciso que os Poderes da República estejam sempre atentos às reivindicações da população brasileira."

LEIA MAIS:

- Governo Federal teme nova onda de manifestações pelo País