NOTÍCIAS

Após tragédia, Chapecoense é declarada campeã da Copa Sul-Americana

05/12/2016 15:15 -02
NELSON ALMEIDA via Getty Images
Brazil's Chapecoense players pose for pictures during their 2016 Copa Sudamericana semifinal second leg football match against Argentina's San Lorenzo held at Arena Conda stadium, in Chapeco, Brazil, on November 23, 2016. / AFP / NELSON ALMEIDA (Photo credit should read NELSON ALMEIDA/AFP/Getty Images)

A Chapeoense foi declarada campeã 2017 da Copa Sul-Americana pela Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol). O time catarinense disputaria a final do campeonato contra o Atlético Nacional de Medellín na última quarta-feira (30), mas o sonho de conquistar o título foi interrompido pela queda do avião que levava o time à Colômbia.

A decisão foi anunciada pela Conmebol nesta segunda-feira (5) e representa também uma chance de o clube se reerguer financeiramente após a tragédia. Agora, a Chapecoense tem garantida sua vaga na Copa Libertadores 2017 e, por isso, receberá o prêmio de US$ 2 milhões.

Além disso, cada jogo disputado no campeonato renderá US$ 600 mil ao time, que tem ao menos três partidas garantidas - ou seja, mais US$ 1,8 milhão garantido.

Com a vitória declarada, a Chape também garante uma vaga na Recopa - e mais US$ 1 milhão aos cofres do clube.

O Atlético Nacional de Medellín, que disputaria a final contra a Chape e pediu que a Conmebol concedesse o título à Chape, recebeu o prêmio Centenário Conmebol de Fairplay, no valor de US$ 1 milhão.

A tragédia

A cidade de Chapecó, em Santa Catarina, e o futebol acordaram de luto na última terça-feira. O acidente com o avião que levava a Chapecoense para a Medellín, na Colômbia, deixou 71 mortos entre as 77 pessoas que estavam a bordo.

Além dos jogadores, o avião levava a comissão técnica e funcionários da equipe da Chapecoense e jornalistas que iriam cobrir o jogo a Copa Sul-Americana na quarta-feira, em Medellín, a primeira internacional da equipe do interior catarinense.

O avião caiu a poucos quilômetros do aeroporto de Medellín onde deveria ter pousado. Antes do acidente, o piloto fez contato com a torre de controle, informando "falha total" e "falta de combustível".

Autoridades colombianas confirmaram que o avião voava com menos combustível que o exigido por lei, e que o acidente foi causado por uma pane seca.

O avião, que havia decolado de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, tinha como destino final o município colombiano de Medellín, onde a Chapecoense disputaria as finais da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, na última quarta-feira.