NOTÍCIAS

Chapecó se despede de vítimas do acidente com avião que levava jogadores da Chapecoense

03/12/2016 08:21 -02

chapecoense

Fãs e torcedores fazem fila para entrar na Arena Condá, em Chapecó

A cidade de Chapecó se despede neste sábado (3) das vítimas do acidente de avião na Colômbia que matou atletas e membros da comissão técnica da Chapecoense. Mas um atraso da decolagem dos voos que trazem os corpos das vítimas do acidente aéreo da Chapecoense, de Manaus para Chapecó, vai adiar em cerca de duas horas o início das homenagens na cidade catarinense.

A previsão inicial era de que os três aviões C-130 Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB) desembarcassem em Chapecó por volta das 8h deste sábado, vindos de Manaus. Porém, em razão do atraso, o primeiro avião só chegará ao aeroporto Serafin Enoss Bertaso às 9h45, de acordo com a FAB. A previsão é de que os corpos cheguem às 10h.

O evento na Arena Condá, que começaria ao meio-dia, agora só terá início às 14 horas. Os portões do estádio, que deveriam ser abertos às 7 horas, só foram liberados para a torcida às 7h30. Após a chegada, todos os corpos serão levados à Arena Condá, sede do time catarinense em um cortejo, com a presença de batedores.

As homenagens

Cerca de 2 mil pessoas, segundo estimativa do prefeito de Chapecó, Luciano Buligon terão acesso ao velório coletivo no gramado da Arena. Outras 100 mil deverão ir ao local para "abraçar" o estádio e acompanhar a cerimônia de despedida. Ontem, a Chape pediu aos torcedores que usassem roupas brancas, além de lenços e bandeiras.

Assim que os corpos chegarem no aeroporto de Chapecó, está prevista uma cerimônia fúnebre com a presença do presidente da República Michel Temer. Depois, haverá um cortejo pelas ruas da cidade catarinense que deve durar cerca de uma hora e meia. Três caminhões decorados com a bandeira e as cores do time vão desfilar com os caixões.

A entrada dos torcedores na Arena Condá será feita de acordo com a ordem de chegada - cerca de 19 mil pessoas serão acomodadas nas arquibancadas do estádio. Do lado de fora, telões vão transmitir a cerimônia e as homenagens. O acesso ao campo ficará restrito aos familiares, autoridades e pessoas diretamente ligadas à Chape.

Ontem, Buligon agradeceu os esforços da Embaixada brasileira e das autoridade colombianas para que o velório fosse feito neste sábado.

"Com ajuda mútua, conseguimos fazer. Não é comum num acidente aéreo, mesmo em um tempo tão curto, fazer a devolução desses corpos. E esse era um dos objetivos. O outro era cuidar dos sobreviventes, que vão ser tratados em um só hospital".

Segundo o G1, a previsão inicial da FAB era permanecer em Manaus por apenas duas horas, para "reabastecimento e desembaraço alfandegário". No entanto, os aviões ficaram quatro horas em solo amazonense. Neste período, os corpos foram homenageados por locais e por uma breve cerimônia com a presença do prefeito de Chapecó, Luciano Buligon.

"É um sentimento muito grande, eu sinceramente não sei, não existe um modelo para tratar isso. Vamos deixar o coração aguentar. Mas nós estamos preparados para esse momento, pelo carinho que vocês viram aqui, pelo carinho que nós vimos lá em Medellin, pelo carinho que nós vamos ver lá em Chapecó. São atos espontâneos de carinho e solidariedade. Aqueles que não acreditam nisso, podem acreditar", disse Buligon ao G1.

Mais de 900 profissionais de imprensa de 15 países se credenciaram para trabalhar na cobertura do velório coletivo. Além disso, segundo a administração da Chapecoense, outros 800 pedidos de credenciamento foram feitos por e-mail.

Autoridades presentes

Ontem, com receio de vaias, o presidente da república, Michel Temer divulgou que não iria ao velório. Temer iria apenas até o aeroporto, onde acontecerá uma cerimônia reservada para receber os corpos das vítimas.


Osmar Machado, pai do zagueiro Filipe, se recusou a encontrar o presidente no aeroporto. "Eu não vou ao aeroporto... Não! Ele que tem que vir aqui. Você acha que eu vou deixar o meu filho aqui e ir até lá para dar um abraço nele?", afirmou em entrevista à Rádio Jovem Pan.

Na manhã deste sábado (3), instantes após pousar no local, o cerimonial da presidência anunciou que o presidente irá comparecer à Arena Condá, onde acontece o velório. O avião da presidência pousou no aeroporto de Chapecó pouco antes das 9h da manhã deste sábado (3). Junto com Michel Temer, veio o embaixador da Colômbia no Brasil, Alejandro Borda.

Por outro lado, há a possibilidade de que o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, comparecesse ao velório. "Seria uma possibilidade de retribuir o apreço com o qual eles trataram essa situação. O atendimento de forma qualificada, a homenagem no estádio", afirmou o vice-governador de Santa Catarina, Eduardo Moreira, em entrevista à GloboNews.

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, suspendeu uma viagem à Austrália para comparecer ao funeral. O Conselho da Fifa pediu que seja respeitado um minuto de silêncio antes de todas as partidas do fim de semana. Também foi aconselhado que os jogadores de todo o mundo utilizem uma faixa preta em homenagem às vítimas.

LEIA MAIS:

- 'Posso te dar um abraço?': A linda entrevista da mãe do goleiro Danilo

- Galvão sobre narrar jogo da Chape: 'Não penso em outra coisa'

- 'É uma falta de respeito': Pai de zagueiro da Chapecoense diz que não vai receber Temer no aeroporto