COMPORTAMENTO

As homenagens pelo Brasil aos jornalistas mortos na tragédia da Chapecoense

03/12/2016 12:21 -02
DOUGLAS MAGNO via Getty Images
People pay tribute to journalists killed in a November 28 plane crash in the Colombian mountains, at the Chapecoense Real Brazilian football club's Arena Conda stadium in Chapeco, in the southern Brazilian state of Santa Catarina, on December 2, 2016. A Bolivian charter airline whose plane ran out of fuel crashed in the Colombian mountains earlier this week killing 71 people, including most of the Brazilian football team. / AFP / DOUGLAS MAGNO (Photo credit should read DOUGLAS MAGNO/AFP/Getty Images)

A tragédia da Chapecoense foi um baque para amantes do futebol, mas também para os profissionais de comunicação. Vinte jornalistas da Globo e afiliadas, da Fox Sports, da RBS e das rádios de Santa Catarina estavam entre as vítimas do acidente e recebem homenagens neste sábado (3) pelo Brasil.

Uma missa em homenagem aos cinco profissionais da RBS mortos no acidente aéreo com a delegação da equipe acontece na Catedral Metropolitana de Florianópolis na manhã deste sábado (3).

A cerimônia foi aberta ao público. Em seguida, os corpos seguem para velório individuais e particulares. Os profissionais homenageados na capital catarinense são André Luiz Podiacki, Bruno Mauri da Silva, Djalma Araújo Neto, Giovane Klein Victória e Laion Machado de Espíndula.

No Rio de Janeiro, o velório dos jornalistas Guilherme Marques, Guilherme Van der Laars e Ari Júnior está previsto para começar no início da tarde na sede do Botafogo, em General Severiano.

Já em São Paulo, os jornalistas Deva Pascovich e Lilácio Pereira Júnior serão velados na Assembleia Legislativa, em cerimônia prevista para começar entre o fim da tarde e o início da noite deste sábado.

Na sequência, os corpos serão levados para São José do Rio Preto para serem velados pela família em cerimônia particular. A previsão é que os corpos cheguem à cidade às 2h de domingo (4).

O carinho de Chapecó

chapecoense journalist

Também na noite desta sexta-feira (2), com rosas brancas nas mãos, jornalistas, familiares e amigos dos profissionais de imprensa que morreram no acidente com o avião da Chapecoense, prestaram uma homenagem às vítimas. O ato aconteceu na Arena Condá e foi conduzido por um padre.

Os nomes de todos os jornalistas mortos na tragédia foram citados durante a homenagem, acompanhados de salvas de palmas. O nome de Rafael Henzel, o único jornalista sobrevivente, também foi falado durante a homenagem que terminou com a oração "Pai Nosso". Assista ao vídeo:

A homenagem dos colegas de imprensa

Fernanda Gentil, apresentadora do Esporte Espetacular, da Rede Globo, escreveu um longo texto homenageando os colegas Gui Van der Laars, Ari Ferreira de Araújo Júnior e Guilherme Marques.


Carol Barcellos, apresentadora do Planeta Extremo, da Globo, lembrou o colega Ari Júnior, que era cinegrafista do programa.


Carlos Cereto, editor-chefe de jornalismo do canal SporTV prestou homenagem em seu perfil no Twitter e também no programa Redação SporTV, quando citou cada um dos colegas que estavam no avião.



Mauro Cezar Pereira, jornalista da ESPN homenageou Paulo Julio Clement, comentarista dos canais Fox, trocando sua foto de perfil no Twiter por uma do amigo. Na rede social, ele também postou um vídeo de Paulo e Victorino Chermont, outra vítima do acidente.



Andre Rizek, jornalista da SporTV lembrou o amigo Paulo Julio Clement em seu perfil no Twitter:


A perda do jornalismo esportivo

Estes são os nomes dos jornalistas honrados nas homenagens pelo Brasil:

André Podiacki (RBS) - Natural de Florianópolis, André era repórter do jornal Diário Catarinense desde 2011. Tinha 26 anos e atuava como setorista da Chapecoense.

Ari de Araújo Jr. (TV Globo)

Era reconhecido como um dos mais talentosos profissionais de imagem do Brasil. Nasceu em Trindade, no estado de Goiás. Começou como porteiro na TV Serra Dourada, afiliada do SBT. Virou repórter cinematográfico na TV Anhanguera, afiliada da Rede Globo. Depois de passar pela Globo São Paulo, estava na Globo Rio desde 2012. Seu trabalho mais conhecido foi o programa Planeta Extremo. Participou da cobertura de Copa do Mundo e Olimpíada.

Bruno Mauri da Silva (RBS)

Técnico de externas, estava na emissora desde 2012. Atuou ainda como operador técnico. Tinha 25 anos.

Devair Paschoalon (FOX)

Conhecido por Deva Pascovicci, era narrador da Fox Sports. Tinha 51 anos e nasceu em Monte Aprazível, São Paulo. Começou narrando por emissoras do interior até chegar à extinta TV Manchete, no início dos anos 90. Em 1995 foi para o SporTV e ficou até 2004. No ano seguinte, foi para a CBN. Estava desde o início de 2016 na Fox.

Djalma Araújo Neto (RBS)

Aos 35 anos, era repórter cinematográfico da RBS TV. Tinha 13 anos de empresa.

Douglas Dorneles (Rádio Chapecó)

Comentarista da emissora.

Edson Luiz Ebeliny (Rádio Super Condá)

Repórter da emissora.

Fernando Schardong (Rádio Chapecó)

Narrador da emissora.

Gelson Galiotto (Rádio Super Condá)

Narrador da emissora.

Giovane Klein Victória (RBS)

Repórter da RBS TV, o jornalista tinha 28 anos. Trabalhou também na TV Pampa, em Porto Alegre.

Guilherme Marques (TV Globo)

Completou 28 anos no último dia 25 de novembro. Estudou na Escola Parque e se formou em jornalismo pela PUC Rio. Foi estagiário do GloboEsporte.com e passou pela TV Brasil, antes de voltar à Globo para trabalhar como produtor e repórter esportivo da TV em 2013.

Guilherme Van der Laars (TV Globo)

Completou 43 anos no último dia 20 de novembro. Trabalhou no LANCE! e no Jornal Extra antes de se tornar produtor esportivo da TV Globo. Trabalhava na equipe do ''Esporte Espetacular''.

Jacir Biavatti (RIC TV e Rádio Vang FM)

Era comentarista esportivo da TV há quatro meses. Viajou para fazer a cobertura da partida para a rádio.

Laion Espíndola (GloboEsporte.com)

Nascido em 23 de outubro de 1987, Laion era jornalista do GloboEsporte.com em Santa Catarina. Antes, trabalhou nos jornais O Sul e Correio do Povo. Também passou pelo Grupo RBS, todos em Porto Alegre. Atuava como setorista da Chapecoense há dois anos.

Lilacio Pereira Jr. (FOX)

Aos 48 anos, Lilacio era coordenador de transmissões externas.

Mário Sérgio (FOX)

Ex-jogador e ex-treinador, tinha 66 anos e era comentarista do canal de TV Fox Sports. Defendeu a seleção brasileira e atuou por Flamengo, Vitória, Fluminense, Botafogo, Internacional, São Paulo, Palmeiras, Grêmio, entre outros.

Paulo Julio Clement (FOX)

O jornalista Paulo Julio Clement, 51 anos, era comentarista do canal. Foi diretor de esportes do Sistema Globo de Rádio. Passou também pelos principais jornais do Rio de Janeiro. Foi repórter de O Globo e editor de Esportes do Jornal do Brasil. Também trabalhou no Marca Brasil, como editor.

Renan Agnolin (RIC TV Rádio Oeste Capital)

Aos 27 anos, Renan atuava como repórter da rádio apenas em jogos da Chapecoense. Também trabalhava para a Ric TV, afilhada da TV Record em Chapecó e ancorava o programa Jornal do Meio-Dia.

Rodrigo Santana Gonçalves (FOX)

Rodrigo era repórter cinematográfico da emissora. Tinha 35 anos.

Victorino Chermont (FOX)

Repórter, tinha 43 anos e estava na Fox Sports. Trabalhou na Rádio Globo e SporTV até 2012, quando mudou de emissora.

As homenagens aos jornalistas que morreram no acidente da Chapecoense


Tragédia interrompe sonho da Chape

chapecoense

A cidade de Chapecó, em Santa Catarina, e o futebol acordaram de luto nesta terça-feira (29). O acidente com o avião que levava a Chapecoense para a Medellín, na Colômbia, deixou ao menos 71 mortos entre as 77 pessoas que estavam a bordo.

Além dos jogadores, o avião levava a comissão técnica e funcionários da equipe da Chapecoense, além de jornalistas que iriam cobrir o jogo a Copa Sul-Americana na quarta-feira, em Medellín, a primeira internacional da equipe do interior catarinense.

Segundo informações iniciais, o avião teria desaparecido do radar e feito um pouso forçado, devido a uma falha elétrica, em Cerro Gordo, Colômbia. A aeronave estava a apenas cinco minutos de voo do aeroporto mais próximo, mas o piloto teria tentado um pouso antes da chegada, esvaziado os tanques de combustível para evitar uma explosão.

O avião, que havia decolado de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, tinha como destino final o município colombiano de Medellín, onde a Chapecoense disputaria as finais da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, quarta-feira à noite.

LEIA MAIS:

- A tragédia da Chapecoense foi também um duro golpe no jornalismo esportivo

- A comovente carta da esposa de jornalista morto em tragédia

- A emoção de Galvão ao narrar o momento mais triste do esporte