MULHERES

Vanessa Bell, irmã de Virginia Woolf, sai da sombra para brilhar

02/12/2016 21:01 -02 | Atualizado 02/12/2016 21:01 -02

nude with poppies

Vanessa Bell, “Nude with Poppies,” 1916, óleo sobre tela: 23,4 x 42,24 cm, Swindon Museum and Art Gallery. © The Estate of Vanessa Bell, cortesia de Henrietta Garnett

Vanessa Bell desfrutou do que parece ter sido uma posição privilegiada no mundo da arte por muitos anos. A artista e sua irmã, a escritora Virginia Woolf, se movimentavam por importantes círculos artísticos. Ambas faziam parte do Bloomsbury Group, um clube social repleto de pensadores influentes como John Maynard Keynes, E.M. Forster e Lytton Strachey.

Por isso, pode ser surpreendente que Bell, que era casada com o crítico de arte e filósofo Clive Bell, nunca tenha tido o que a curadora Sarah Milroy descreveu ao HuffPost como “uma exibição em grande escala [...] com um catálogo totalmente colorido”. Em parceria com o cocurador Ian Dejardin, Milroy está mudando este quadro com a montagem de uma exibição com a obra de Bell na Dulwich Picture Gallery, em Londres, que será lançada em 2017.

Milroy destacou que a reputação da pintora como beldade e musa — sem mencionar o mero fato de seu gênero — ofuscou por muito tempo seu talento. “É muito impressionante como os retratos de Bell foram amplamente divulgados, mas como poucas pessoas parecem conhecer o que ela mesma pintou. [...] Era uma beldade famosa.”

Em uma conversa por e-mail, Milroy escreveu: “Tenho visto consistentemente pessoas chocadas com a qualidade do trabalho quando mostro a elas o que iremos exibir.”

vanessa bell em durbins

Vanessa Bell em Durbins, 1911, Desconhecido. Apresentada por Angelica Garnett, 1981 e 1988-92. Parte da Coleção Vanessa Bell. ©Tate Archive, Londres 2016

Embora vários artistas famosos, incluindo seus amantes Roger Fry e Duncan Grant, tenham retratado Bell, Milroy explicou que ela e Dejardin fizeram questão de apenas mostrar os quadros da própria pintora, frequentemente negligenciados.

Com base na avaliação da curadora sobre a obra de Bell, os quadros devem impressionar. “Acho que Bell era uma artista mais aventureira do que seus colegas Grant e Fry, mais inclinada a abrir mão da bajulação ou do decoro em favor de sensações e percepções mais intensas”, disse Milroy ao HuffPost.

“Seu domínio das cores é extraordinário, e o vigor de sua pincelada na década de 1910, seu período mais intenso, é, às vezes, explosivo.”

the other room

Embora Bell tenha ficado à sombra de seus contemporâneos, incluindo de Woolf — que também era notoriamente dependente da irmã e às vezes uma pessoa bastante difícil —, Milroy acredita que a tensão também impulsionou a arte da pintora. “Claro que Virginia e Vanessa eram muito próximas, mas acho que é correto vê-las também como rivais”, disse a curadora ao HuffPost.

“Acho que a necessidade de abrir espaço para si mesma em uma família literária de feroz intelecto e ambição era crucial — imprimindo urgência às suas empreitadas. A esfera visual era sua.”

Quando esta exposição há muito tempo esperada chegar a Londres em 2017, o domínio de Bell sobre o campo visual será finalmente inegável.

A primeira grande exposição monográfica da obra de Vanessa Bell (1879–1961) será exibida na Dulwich Picture Gallery, em Londres, de 8 de fevereiro a 4 de junho de 2017.

  • VANESSA BELL
    “Virginia Woolf,” por Vanessa Bell (née Stephen), oil on board © National Portrait Gallery, London
  • VANESSA BELL
    Vanessa Bell 1879-€“1961, “Self €“Portrait,” ca. 1915, Oil on canvas laid on panel, 63.8 x 45.9 cm, Yale Center for British Art, Paul Mellon Fund. © The Estate of Vanessa Bell, courtesy of Henrietta Garnett
  • VANESSA BELL
    Vanessa Bell 1879–1961, Design for Omega Workshops Fabric, 1913, Watercolor, gouache, and graphite, Yale Center for British Art, Paul Mellon Fund. © The Estate of Vanessa Bell, courtesy of Henrietta Garnett
  • VANESSA BELL
    “Studland Beach,” c.1912, Vanessa Bell (1879–1961), Tate: Purchased 1976. © The Estate of Vanessa Bell, courtesy of Henrietta Garnett Photo © Tate, London 2016.
  • VANESSA BELL
    “Landscape with Haystack,” Asheham, 1912, oil on canvas, board: 60.32 x 65.72 cm, Smith College Museum of Art, Northampton, Massachusetts. Purchased with the gift of Anne Holden Kieckhefer class of 1952, in honour of Ruth Chandler Holden, class of 1926. © The Estate of Vanessa Bell, courtesy of Henrietta Garnett


Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Artista plástica saudita luta para que seu país trate as mulheres como adultas

- Após três abortos, Marina Abramovic diz que a maternidade seria 'desastrosa' para a sua carreira

- Conheça a última geração das Haenyos, as 'sereias' da vida real