ENTRETENIMENTO

Jennifer Lawrence escreve carta aberta sobre vitória de Donald Trump: 'Deixe isso te enraivecer'

10/11/2016 21:29 BRST | Atualizado 10/11/2016 21:29 BRST
Axelle/Bauer-Griffin via Getty Images
BEVERLY HILLS, CA - OCTOBER 28: Actress Jennifer Lawrence arrives at the 2016 AMD British Academy Britannia Awards presented by Jaguar Land Rover and American Airlines at The Beverly Hilton Hotel on October 28, 2016 in Beverly Hills, California. (Photo by Axelle/Bauer-Griffin/FilmMagic)

Jennifer Lawrence decidiu não deixar a vitória de Donald Trump desestimulá-la a confrontar o machismo ou sentir medo do conservadorismo agudo que o republicano representa.

A atriz de 26 anos publicou nesta quinta-feira (10) uma carta aberta no Broadly, o site feminino da Vice, para opinar sobre a eleição de Trump, que derrotou a democrata Hillary Clinton após uma campanha marcada pelo discurso de ódio perpetrado pelo republicano contra minorias.

"É isso o que nós acabamos de aprender? Este país foi fundado com imigrantes e hoje as únicas pessoas que se sentem seguras, que têm direitos reconhecidos e respeitados são homens brancos", escreveu.

Lawrence diz na carta que mesmo diante desta situação, é importante concentrar-se na solução, "pois não podemos mudar o passado". Ela defende que os americanos não deveriam culpar uns aos outros ou protestar nas ruas.

"Se você está preocupado a respeito da saúde de nosso planeta, pesquise tudo o que puder sobre como protegê-lo. Se você está preocupado sobre a violência racial, ame seu vizinho mais do que você já tentou – não importa o que ele acredita ou em quem ele votou."

A atriz não deixou de mencionar a questão das mulheres. Durante toda campanha presidencial, Trump disparou inúmeras falas machistas e misóginas; a forma que o novo presidente dos Estados Unidos se refere a mulheres gerou indignação e preocupação mundo afora.

"Se você é mulher e está preocupada [com o fato de que] sempre haverá um teto de vidro, não importa o quão duro você trabalhe ou o quanto aprenda, então na verdade eu não sei o que te dizer. Não sei o que diria a minha filha se eu fosse você. Exceto ter esperança. Trabalhar pelo futuro."

A vencedora do Oscar por O Lado Bom da Vida (2012) sugere que Clinton – conhecida por defender os direitos das mulheres há décadas – seja usada como exemplo de luta neste momento.

"Não deixe isso te derrotar – deixe isso te enraivecer! Deixe isso ser o fogo que você não tinha antes. Se você é um imigrante, se você é negro, se você é LGBTQ+, se você é mulher – não tenha medo, faça barulho!"

Você pode ler a íntegra da carta de Lawrence aqui.

LEIA MAIS:

- 'Amor supera o ódio': Nas ruas de NY, Lady Gaga protesta contra novo presidente

- Vitória de Trump não vai abalar Emma Watson: 'Vou lutar ainda mais pelo que acredito'

- Após prever vitória de Trump, Michael Moore faz lista de como reagir em 5 passos