NOTÍCIAS

STF nega pedido de liberdade e Cunha permanece preso

04/11/2016 21:10 -02
Rodolfo Buhrer / Reuters
Former speaker of Brazil's Lower House of Congress, Eduardo Cunha (C), is escorted by federal police officers as he leaves the Institute of Forensic Science in Curitiba, Brazil, October 20, 2016. REUTERS/Rodolfo Buhrer/File photo

O ministro Teori Zavascki negou nesta sexta-feira (4) o pedido de liberdade da defesa do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

De acordo com o G1, o ministro, que é relator da Lava Jato, argumenta que o instrumento usado pela defesa não é cabível. Foi feita uma reclamação, que só pode ser usada quando há contrariedade ao entendimento do STF.

A defesa de Cunha alega que a Suprema Corte já havia descartado o pedido de prisão feito pelo procurador-Geral da República, Rodrigo Janot.

Os advogados entendem que, ao expedir o pedido de prisão, o juiz Sérgio Moro, da 1ª instância da Justiça do Paraná, teria descomprimo a ordem do STF.

A defesa de Cunha vai recorrer da decisão.

O ex-deputado e ex-presidente da Câmara dos Deputados está preso desde 19 de outubro.

Minha mudança, minha vida

Preso preventivamente por tempo indeterminado, o ex-deputado determinou nesta sexta-feira (4) o esvaziamento do apartamento funcional que ocupava na 316 Sul, em Brasília.

Ele deveria ter entregue as chaves do imóvel no último dia 13. A multa no caso de atraso é proporcional ao período que o imóvel foi ocupado, com base no auxílio moradia, que é de R$ 4.253. A Câmara, entretanto, ainda não confirmou se cobrará a pendência.

LEIA MAIS:

- Eduardo Cunha chama Temer e Lula como suas testemunhas de defesa

- 4 coisas que Cunha fez quando já sabia que seria preso

- Prisão preventiva de Cunha reforça críticas à conduta de Moro na Lava Jato